Turismo

Sob chuva, Guerrieri vence primeira corrida do WTCC na China. Girolami leva segunda após quatro voltas

A chuva caiu com muita força no circuito de Ningbo, na China. A primeira corrida aconteceu normalmente, mas não teve jeito de completar a segunda. As vitórias acabaram com os argentinos Esteban Guerrieri e Nestor Girolami
Warm Up / Redação GP, de Viamão
 O WTCC teve um dia chuvoso na China (Foto: FIA WTCC)

Assim como na etapa de Motegi da Motogp e de Fuji do Mundial de Endurance, a chuva veio com força na rodada dupla do WTCC em Ningbo, na China. No toró deste domingo (15), dois argentinos venceram: Esteban Guerrieri levou a melhor na primeira corrida, enquanto Nestor Girolami foi ao alto do pódio na segunda, abandonada após quatro voltas.
 
Guerrieri construiu a vitória em largadas e relargadas. Logo nos primeiros metros, Esteban saltou de quarto para segundo. Voltas depois, após o safety-car causado por acidente de Rob Huff e Tom Chilton, o piloto da Chevrolet conseguiu ultrapassar o então líder Yann Ehrlacher.
 
Os dois seguiram próximos ao longo das voltas seguintes. Ehrlacher tinha contato visual, mas não a ponto de tentar ultrapassagem. Desse jeito, Guerrieri voltou a vencer no campeonato de turismo. Nicky Catsburg completou o pódio, mas 11s atrás.
Nestor Girolami venceu no WTCC (Foto: FIA WTCC)

A história da segunda corrida foi bem diferente. Isso porque apenas quatro das 18 voltas planejadas foram realizadas, consequência da forte chuva. Todas foram realizadas em regime de safety-car, o que significa que o pole-position Nestor Girolami venceu.
 
Girolami, que disputou a Stock Car em 2016, ainda não havia vencido no Mundial de Turismo. Mas a vitória vem com um detalhe: como não deu para completar 75% das voltas, apenas metade da pontuação foi distribuída entre os pilotos.
 
Mesmo com menos pontos na segunda prova, Thed Björk assumiu a liderança do campeonato. O sueco aproveita a ausência do ex-líder Tiago Monteiro, que ainda se recupera de um sério acidente durante teste privado.
 
'EXTRAORDINÁRIO'

DI GRASSI VÊ HAMILTON COMO UM DOS TRÊS MAIORES DA HISTÓRIA