Superbike
17/06/2017 08:55

Sykes aproveita queda de Davies e Rea na última volta e fatura vitória na corrida 1 do Mundial de Superbike em Misano

A primeira corrida da rodada dupla de Misano do Mundial de Superbike teve um desfecho inacreditável. Na volta derradeira da prova, Chaz Davies caiu e Jonathan Rea, que vinha logo atrás, não conseguiu evitar o impacto contra o piloto da Ducati. Tom Sykes, que havia largado na pole e despencou para quinto durante a corrida, aproveitou a série de incidentes e triunfou na tarde deste sábado na Itália
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Tom Sykes (Foto: Provec)

Inacreditável! Assim pode ser definido o fim da primeira corrida do fim de semana do Mundial de Superbike no circuito Marco Simoncelli, em Misano, na Itália. Chaz Davies, Jonathan Rea e Marco Melandri lutaram pela vitória nas últimas voltas. O italiano sofreu uma queda restando dois giros para o fim, e a batalha ficou entre Davies e Rea. Restando poucas curvas para a bandeirada, o piloto da Ducati caiu e Rea não conseguiu evitar o impacto, chegando até a passar por cima, de forma involuntária, de Chaz. Os dois foram ao chão. Aí levou a melhor quem vinha logo atrás: Tom Sykes, que largou na pole e chegou a andar em quinto lugar. O britânico conseguiu recuperar terreno com os infortúnios dos adversários venceu pela segunda vez na temporada neste sábado (17).
 
Alex Lowes terminou em segundo, enquanto Rea ainda conseguiu se recuperar ao levantar da do acidente com Davies, apanhar sua moto e seguir para cruzar a linha de chegada em terceiro. Pior para Michael Van der Mark, que tinha tudo para vencer ao liderar boa parte da corrida, mas foi ao chão em Misano, vendo a sua chance de triunfar pela primeira vez no Mundial de Superbike ir pelos ares.

 
Tom Sykes, da Kawasaki, largou na pole, mas logo foi surpreendido por Chaz Davies e, principalmente, por Michael Van der Mark, que acabou assumindo a liderança com a sua Yamaha #60. Em uma corrida de 21 voltas, o holandês despontava rumo à sua primeira vitória no Mundial de Superbike, mas tinha de lidar com três grandes pilotos no seu encalço: Davies, Rea, o líder do campeonato, e o dono da casa Marco Melandri.
 
Enquanto Sykes ficava para trás e Stefan Bradl enfrentava problemas e despencava para o fim do pelotão, Van der Mark conseguia abrir vantagem na ponta e tinha 1s2 de frente para Jonathan Rea em Misano com dez voltas para o fim. O britânico conseguia fazer a ultrapassagem sobre Chaz Davies, mas não tinha ritmo para alcançar o holandês da Yamaha.
 
Porém, nas últimas voltas, Rea encostou em Van der Mark. No momento em que a corrida parecia indicar uma bela briga no fim, Van der Mark perdeu o controle da sua Yamaha e caiu, vendo pelos ares a chance de vencer a primeira corrida no Mundial.
 
A liderança foi herdada por Rea, que mesmo assim não teve descanso, já que passou a ser pressionado também por Davies e Melandri. A luta pela vitória estava entre os três em Misano. Restando quatro voltas para o fim, a prova estava longe de ter um desfecho no circuito italiano.
 
Tanto que as Ducati deram o bote sobre Rea. Davies e Melandri passaram Rea e tomaram as duas primeiras colocações, mas o britânico seguia forte na cola e não desistia da briga pela vitória. Na penúltima volta, Rea retomou a segunda posição ao ultrapassar Melandri, mas Davies tentava abrir alguma vantagem para abrir o último giro da corrida com certa folga.

 

E Melandri era definitivamente carta fora do baralho depois de sofrer uma queda na última volta. Mas a prova teria um desfecho inacreditável. Davies caiu em frente a Rea, que não conseguiu evitar o choque e acabou até atropelando involuntariamente o piloto. 
 
Os dois foram ao chão. Davies levou a pior e foi atendido pelos médicos pouco depois, enquanto Rea conseguiu levantar, pegar sua moto e ainda terminar a corrida. Mas a vitória caiu no colo de Sykes, de pole, caiu para quinto e alcançou um improvável triunfo em Misano. Alex Lowes foi o segundo colocado. Rea, mesmo com todo o azar nas últimas curvas, conseguiu terminar em terceiro.
 
O CANADÁ É PARA HAMILTON O QUE MÔNACO FOI PARA SENNA?