Seletiva BR

Finalistas da Seletiva de Kart Petrobras 2017: Vinícius Ponce, paulista, 15 anos

Dono de grande trajetória não só no kartismo brasileiro, mas na América do Sul e nos Estados Unidos, Vinícius Ponce entra na grande final da Seletiva de Kart Petrobras como um dos mais jovens do rol de 12 pilotos. Classificado na eliminatória de Aldeia da Serra, o paulista sonha em coroar seu primeiro ano na Graduados com o título, mas sabe que a tarefa não vai ser fácil
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Vinícius Ponce garantiu vaga na Seletiva Petrobras (Foto: Fábio Oliveira / Radical Motors)

Aos 15 anos, Vinícius Ponce vai disputar pela primeira vez a final da Seletiva de Kart Petrobras. 2017 tem sido um grande ano para o piloto nascido na capital paulista, que desbravou fronteiras, foi competir nos Estados Unidos e conquistou bons resultados. Todos na esteira de um 2016 muito vencedor, marcado por títulos do Super Kart Brasil, do Brasileiro de Kart e da Copa FIA Américas de Kart na categoria Júnior. 
 
Em seu primeiro ano na categoria Graduados, Ponce já conseguiu um feito. Na eliminatória em Aldeia da Serra, em São Paulo, o piloto assegurou uma vaga entre os 12 finalistas para a Seletiva de Kart Petrobras. Um incentivo e tanto para quem almeja, em pouco tempo, mergulhar de vez no automobilismo norte-americano e tem na Indy seu objetivo principal.
 
Antes da sua estreia na finalíssima da Seletiva de Kart Petrobras, Ponce começou 2017 correndo em algumas etapas do tradicional Florida Winter Tour, nos Estados Unidos. No Brasil, Vinícius compete na Copa São Paulo Light de Kart na classe Graduados, sendo líder da divisão B, destinada aos estreantes, e ocupando o quarto lugar da classificação geral. O piloto também corre na Copa SP de Kart da Granja Viana na categoria Shifter, que são os karts com marchas.
 
 
FICHA TÉCNICA
Nome: Vinícius Fernando Abreu Ponce
Data de nascimento: 13/06/2002
Local de nascimento: São Paulo (SP)
Ano de estreia no kart: 2012, categoria Super Cadete
Vinícius Ponce garantiu vaga na Seletiva Petrobras (Foto: Fábio Oliveira / Radical Motors)
Principais resultados: 
2014 - Vice campeão Copa São Paulo Light de Kart (Junior Menor);
2015 - 3ª Lugar Top Kart Brasil (Junior);
2015 - 4ª Lugar Campeonato Brasileiro de Kart (Junior);
2015 - 5ª Lugar Copa Brasil de Kart (Junior);
2015 - 3ª Lugar XIX Skusa Supernationals (TAG Junior);
2015 - Vice-campeão Copa São Paulo Light de Kart (Junior);
2016 - Campeão Super Kart Brasil 21 (Junior);
2016 - Campeão Super Kart Brasil 22 (Junior);
2016 - 3ª Lugar GP São Paulo Top Kart Brasil (Junior);
2016 - Vice campeão Copa Paladino de Kart (Junior);
2016 - Campeão Brasileiro de Kart (Junior) ;
2016 - Campeão 6ª Copa FIA Américas/NACAM/CODASUR;
2016 - 3ª Lugar Campeonato Paulista de Kart (Junior);
2016 - Vice-campeão Copa São Paulo Light de Kart (Junior)
 
O que fez em 2017: “Comecei o ano competindo em algumas provas do Flórida Winter Tour nos Estados Unidos. Mesmo indo bem em todas as corridas, acidentes me prejudicaram e impediram a conquista de mais pódios internacionais. Aqui no Brasil, estou correndo a Copa São Paulo de Kart na categoria Graduados. Sou o líder da divisão B (estreantes na Graduados) e ocupo a quarta posição na classificação geral do campeonato da Graduados. Também estou competindo na Copa São Paulo de Kart da Granja Viana pela categoria Shifter, karts com marchas, que vai ser o foco principal da temporada de 2018, sendo minha preparação para integrar as categorias de monopostos nos Estados Unidos.
 
 

 

Como foi a etapa em que você conquistou a vaga para a final?
 
A ideia de conquistar a vaga vinha desde o Brasileiro de Kart, em Santa Catarina, mas tive inúmeros problemas. Desde batidas até problemas técnicos, então o foco total ficou em buscar a vaga na etapa do Light. Comecei muito bem, liderei o último treino livre, mas acabei conseguindo apenas o quinto lugar na tomada de tempos. A recuperação acabou vindo nas provas, quando terminei a primeira corrida em terceiro e a segunda com a vitória, sendo meu primeiro lugar a Graduados. Além de assegurar a vaga, venci também a etapa da Copa São Paulo Light.
 
 
Como você está se preparando para a final da Seletiva? 
 
Toda semana treino pelo menos duas vezes, seja de Graduados ou de Shifter. Acho essencial se manter ativo no esporte e sempre estar buscando melhorar o desempenho dentro da pista. Para Seletiva de Kart estamos buscando a possibilidade de treinar no Kartódromo da Granja Viana com um equipamento semelhante ao usado na Seletiva.
Vinícius Ponce garantiu sua vaga à final da Seletiva de Kart Petrobras em setembro (Foto: Fábio Oliveira/Radical Motors)
Essa será sua primeira participação na final da Seletiva de Kart Petrobras. Qual é a sua expectativa?  
 
Já acompanhei muitos amigos do kart participando da Seletiva. É, sem dúvida, uma das melhores competições do ano, e estar entre os doze pilotos selecionados me deixa muito contente, além de poder mostrar que estou competitivo sendo meu primeiro ano na Graduados. A expectativa é sempre vencer, o que não será uma tarefa fácil, pois estarei enfrentando pilotos que já participaram nos anos anteriores.
 
 
Qual a importância de ser finalista da Seletiva de Kart Petrobras? 
 
A Seletiva de Kart Petrobras é uma competição que junta os melhores pilotos de certas competições nacionais e estaduais, e estar entre os selecionados é muito bom. Mostra que estou competitivo e entre os melhores competidores de kart no Brasil.
 
 
Qual é o seu objetivo no automobilismo? 
 
Cresci acompanhando meu pai nas corridas de rali e hoje venho levando a sério o kartismo. Pretendo seguir adiante no automobilismo, sabemos que não se vive de corridas e corridas, mas vejo como uma porta para grandes oportunidades. Uma delas foi o convite que recebi do piloto Tuka Rocha no início do ano passado, para participar do projeto Tuka Racing School, sendo um dos instrutores da escolinha de pilotagem para crianças. Passar um pouco do que venho aprendendo aos pequenos foi muito legal.
 
 
Se for campeão, já sabe o que vai fazer com o prêmio? 
 
Investir na minha carreira e tirar um pouco das costas do meu pai (risos). Todo auxílio financeiro sempre é bem-vindo, e atualmente esse apoio está bem escasso.
 
 
Se não chegar à F1, onde espera chegar?  
 
A F1 é o sonho de qualquer criança que vive no meio do automobilismo, mas meu foco é crescer no automobilismo norte-americano. Desde quando comecei a correr nos Estados Unidos, comecei a ver o como funcionava o automobilismo por lá. Ainda mais acompanhando os novos brasileiros que estão se destacando lá como Matheus Leist e Victor Franzoni. O meu objetivo é chegar na Indy.
 
 
Quem são seus ídolos da atualidade? E do passado? 
 
Não tive a oportunidade de assistir às corridas do Ayrton Senna, mas cresci vendo vídeos e sempre escutei meu pai e amigos falando dele. Senna, para mim, é incomparável. Já na atualidade, admiro muito o estilo de pilotagem do Lewis Hamilton, o cara está mandando muito na F1 atual.
RITMO DE FESTA

PADDOCK GP CHEGA À EDIÇÃO 100 COM HISTÓRIAS IMPERDÍVEIS DE EDGARD MELLO FILHO