Seletiva BR
17/10/2017 11:20

Finalistas da Seletiva de Kart Petrobras 2017: João Rosate, goiano, 17 anos

A 12ª e última vaga para a final da Seletiva de Kart Petrobras neste ano ficou com João Rosate. Na classificatória realizada na Copa Brasil em Paladino, na Paraíba, o goiano garantiu a vaga para a grande decisão pela segunda vez. Tudo com um misto de sorte e superação. Agora, seu lema é aproveitar e evoluir: “Vou usar muito disso para conseguir desenvolver minha carreira”
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 João Rosate chegou à Paraíba de última hora, mas também garantiu vaga na final (Foto: Flávio Quick)

João Rosate tem um currículo de respeito no kartismo. Bicampeão sul-americano e tetracampeão brasileiro, o goiano, de apenas 17 anos, precisou do seu talento e também da ajuda da sorte para garantir uma vaga na final da Seletiva de Kart Petrobras pela segunda vez. 
 
 
Com carreira no kartismo desde 2008, Rosate esteve na final da Seletiva de Kart Petrobras pela primeira vez em 2015, quando terminou em quinto lugar. Agora, mais preparado e mais ‘cascudo’ com a experiência adquirida nos últimos anos, o goiano almeja um resultado ainda melhor e definitivamente lutar pelo título da 19ª edição da Seletiva e usufruir dos prêmios em disputa, como os R$ 85 mil destinados ao vencedor.
João Rosate chegou à Paraíba de última hora, mas também garantiu vaga na final da Seletiva de Kart Petrobras (Foto: Flávio Quick)
 
FICHA TÉCNICA
Nome completo: João Vitor Rosate
Data de nascimento: 17 de julho de 2000
Local de nascimento: Goiânia 
 
Principais resultados: bicampeão sul-americano; tetracampeão brasileiro.
 
Participações anteriores na Seletiva: Segunda vez. Foi o quinto colocado de 2015.
 
 
Como foi a etapa em que se classificou?
 
Sorte e persistência definem minha classificação, já que eu tive problemas mecânicos ainda na primeira volta e entrei nos boxes para abandonar a prova. Porém, algo me dizia para continuar, então arrumamos o problema. Voltei pra pista e contei com a sorte de exatamente os pilotos que disputavam a vaga também terem problemas.
 
 
Essa será sua segunda participação como finalista. Como está sua expectativa?
 
Estou muito ansioso. Na minha primeira participação eu era um dos mais velozes, porém caí em grupos muito difíceis. Somado à minha inexperiência, foram coisas que dificultaram ainda mais a minha presença na Seletiva. Hoje, dois anos depois, me sinto muito mais preparado para esse desafio.
Rosate garantiu vaga na final durante disputa da decisão da classe Graduados na Copa Brasil de Kart (Foto: Flávio Quick)
 
Qual a importância de poder ser finalista da Seletiva de Kart Petrobras?
 
Só de estar entre os 12 selecionados já me sinto honrado, e isso ficará para sempre no meu currículo. Acho que vou usar muito disso para conseguir desenvolver minha carreira.
 
 
Qual o aprendizado da sua participação em 2015 que você vai trazer para a disputa da final deste ano? 
 
Acho que saber aproveitar cada volta como um momento de acerto da sua calibragem é essencial. Sempre estar atento às condições climáticas também ajuda muito.
 
 
Do que tem visto, como avalia o nível dos seus concorrentes?
 
São concorrentes muito diversos. Alguns são mais novos, e eu nunca tive a oportunidade de disputar. Outros são meus ‘rivais’ há alguns anos. A Seletiva de Kart Petrobras reuniu pilotos muito rápidos e decisivos. Vai ser muito bom poder ensinar e até aprender com os pilotos mais novos.
 
 
Como vai se preparar para a grande final?
 
Como sempre! Muito foco, dedicação e indisciplina. Treinos de kart todos os dias, alimentação regrada e até simulações de voltas rápidas.
 
 
Se for campeão, já sabe o que vai fazer com o prêmio?
 
Vou dividir com meu mecânico e amigo ‘Pequeno’. Ele provavelmente vai comprar seu carro, e eu acho que vou investir minha parte em alguns jogos de pneus [risos].
 
 

Se não chegar à F1, onde espera chegar?
 
Meu objetivo principal é a Stock Car. A F1 hoje é um sonho muito distante, que não tenho tanta ambição, a não ser que apareça algum santo com alguns milhões e disposto a investir em mim.
 
 
Quais são seus ídolos da atualidade? E do passado?
 
Quando se fala em ídolos, eu só penso em Michael Schumacher, Ayrton Senna, Juan Manuel Fangio... Acho que são os ídolos da atualidade que tem de ser vistos por mim como os próximos a serem batidos.
 
’EXTRAORDINÁRIO’

DI GRASSI VÊ HAMILTON COMO UM DOS TRÊS MAIORES DA HISTÓRIA