Rali

Varela e Gugelmin vencem etapa mais longa do Dakar 2018 e ficam a dois passos da conquista do título nos UTVs

A mais longa dentre as etapas do Rali Dakar não foi nada fácil para Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin, que andaram o tempo todo entre Chilecito e San Juan entre os ponteiros e tiveram a dupla franco-suíça formada por Patrice Garrouste e Steven Griener muito próxima até o waypoint 9. Mas problemas com os rivais deixaram os brasileiros ainda mais perto da glória no maior rali do mundo
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin (Foto: Marcelo Machado/photosdakar.com)

12ª ETAPA | 18 de janeiro
Fiambalá (ARG) - San Juan (ARG)
Trecho cronometrado: 522 km
Percurso total: 791 km
 
Falta cada vez menos para Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin escreverem uma página gloriosa na história do Rali Dakar. Líderes da competição dos SxS — nova nomenclatura dada aos UTVs pela organização da prova —, os brasileiros brilharam mais uma vez diante da mais longa especial da disputa. E nesta quinta-feira (18), o conjunto da equipe South Racing levou o UTV da Can-Am à vitória pela quinta vez no rali. E novamente liderando boa parte da especial para aumentar ainda mais a vantagem na classificação geral. Foi uma etapa longa, de mais de nove horas de duração, mas com mais um triunfo para a dupla nacional.
 
Bem no comecinho da especial, o destaque ficou por conta da dupla argentina formada por Leo Larrauri e Fernando Imperatrice, companheiros de equipe dos brasileiros na South Racing, que lideraram na passagem pelos dois primeiros waypoints. Mas a partir de então, a briga pela ponta da etapa ficou toda concentrada em Varela e Gugelmin contra a dupla franco-suíça formada por Patrice Garrouste e Steven Griener.
Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin estão a dois dias da conquista do Rali Dakar (Foto: Duda Bairros/photosdakar.com)
Ao fim do oitavo waypoint, os brasileiros estavam na frente por apenas 44s. Entretanto, com os problemas dos europeus a partir de então, Varela e Gugelmin praticamente não tiveram mais dificuldades até à zona de meta, na rota até San Juan. Pior para Garrouste e Fournier, que ainda perderam a segunda posição para seus companheiros de equipe na Polaris Xtremeplus, o piloto Claude Fournier, da França, e Szymon Gospodarczyk, da Polônia.
 

Garrouste e Griener também foram batidos, no fim da especial, pelos espanhóis José Luís Pena e Rafael Tornabell, chegando assim apenas na quarta posição dentre os oito UTVs ainda na prova.
 
Larrauri, que teve um bom começo de prova, ‘sumiu’ depois do quinto waypoint e não apareceu mais na cronometragem desde então. Outra dupla que enfrentou problemas e deu adeus de vez às chances de título foi a dos irmãos peruanos Juan Carlos e Javier Uribe, que não conseguiram passar do segundo waypoint. Os brasileiros José Sawaya e Marcelo Haseyama também não apareceram na cronometragem ao longo da disputa desta quinta-feira.

No fim das contas, Varela e Gugelmin cruzaram a zona de meta em 9h07min11s. Fournier complementou a disputa na segunda posição, com o compatriota Garrouste mais atrás, a 18min54s dos vencedores em San Juan. Desta forma, na classificação geral do Dakar, Varela e Gugelmin vão iniciar o caminho a Córdoba com 1h03min27s de frente para Garrouste e Griener, os adversários mais próximos.

Assim, os brasileiros chegam em amplas condições para selarem de vez a conquista do mais cobiçado e importante rali do mundo.