Rali

Sainz revela 'socos em almofadas' durante Dakar e celebra pai campeão em carta: “Agora sei como se sente quando corro”

Carlos Sainz Jr., piloto da Renault na F1, escreveu carta e a divulgou ao público logo após o título de seu pai, Carlos Sainz, entre os carros no Rali Dakar, no último sábado
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Um dia, Sainz Jr. almeja seguir os passos do pai nos grandes ralis (Foto: Twitter)

Carlos Sainz se tornou bicampeão do Rali Dakar entre os carros no último sábado (20). Aos 55 anos, já afirmou que pode se aposentar, e seus rivais já revelaram que 'querem' isso - claro, em forma de homenagem e respeito ao talento do espanhol. O próprio também disse que muito da conquista veio das dicas do filho, Carlos Sainz Jr.

Agora, foi a vez do próprio membro mais novo do clã Sainz homenagear o pai. Primeiro, com um pequeno texto no Twitter, no qual afirmava ser o "filho mais orgulhoso do pai" no mundo no momento, acompanhado de uma foto deles juntos quando o piloto da Renault ainda era uma criança.


Depois, Sainz Jr. divulgou uma carta aberta ao público com bonitas palavras ao pai campeão. Abaixo, o texto:

"Você que me conhece bem vai com certeza se surpreender quando ler esta carta que torno pública com o que quero dizer. Estas duas semanas tão intensas me serviram para entender um pouco como voc~e se sente quando eu que estou correndo e sinceramente me dei conta do quão mal deve ficar, é melhor estar no outro lado do muro! Não imagina o quão nervosas ficaram mamãe, Blanca e Anita. Eu tentava não aparentar nervosismo mas algum soco na almofada me escapou. Foi muito intenso. 

Algumas horas depois de te ver ganhar e celebrar esse Dakar me dá vontade de dizer o quão importante e impressionante foi ver como trabalhou tão duro para conseguir, aos 55 anos, seguir com vontade e motivação para enfrentar um desafio tão grande como esse de ganhar seu segundo Dakar. Poderia contar mil histórias, mas agora mesmo me recordo de quando eu me levantava para treinar 7h30 para subir na bicicleta dentro da sauna e você levava uma hora insistindo, ou outras vezes em que mandávamso e-mails e você ficava louco com todos os mínimos detalhes, com o desenho dos pneus Michelin que ia levar ao Dakar.

Essas coisas, ainda que no momento eu dê risada e solte alguma graça, quero que saiba que são os melhores exemplos de sacrifício e vontade de vencer que tanto a mim como a minhas irmãs você passou e que aplicamos a tudo na vida.

Todo mundo sabe que sua espetacular carreira esportiva também teve momentos difíceis. Durante esses 8 anos sem ganhar o Dakar aconteceu de tudo um pouco, abandonos por falta de confiabilidade mecãnica, acidentes, etc. Qualquer um se daria por vencido, mas você é 'cabeçudo' e queria um segundo Dakar, e sabia perfeitamente que podia consegui-lo. Você e eu sabemos que poucos esperavam te ver celebrando outra vitória, mas nós que te conhecemos sabíamos que não há desafio que te proponham que não possa alcançar.

Pai, termino aqui e não se preocupe, só espero ter deixado claro a admiração que nós, teus filhos, temos por você como pessoa e esportista, mas acima de tudo dizer que como pai é um exemplo e que não paramos de aprender com você todos os dias. Que vontade estou de te dar um abraço!

Ps.: Todo mundo se pergunta se este vai ser o final de sua carreira e se vai 'pendurar o capacete' (sabe que essa ideia agrade demais a mamãe). Por mim, te aponharei qualquer que seja a decisão."