Rali
17/01/2018 15:05 - Atualizada 17/01/2018 17:54

Price vence de ponta a ponta 11ª especial rumo a Chilecito. E Walkner fica a três dias de título inédito no Dakar

Campeão em 2016, Toby Price fez sua melhor especial na edição 2018 do Rali Dakar e venceu o duríssimo trecho que abriu a etapa Maratona entre Belén e Chilecito. Mas na classificação geral, a liderança continua nas mãos de Matthias Walkner, que agora está a apenas três etapas de conquistar o título do maior rali do mundo pela primeira vez
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Matthias Walkner (Foto: Red Bull Content Pool)

11ª ETAPA | 17 de janeiro (etapa Maratona)
Belén (ARG) – Chilecito (ARG)
Trecho cronometrado: 280 km
Percurso total: 484 km
 
O campeão voltou. Toby Price, dono do título do Rali Dakar em 2016, conquistou sua primeira vitória na 40ª edição da prova ao triunfar no trecho cronometrado de 280 km entre Belén e Chilecito, na Argentina. Nesta quarta-feira (17) que marcou o abandono do então vice-líder e uma das estrelas na disputa das motos, Joan Barreda, o australiano foi dominante e passou em primeiro em todos os waypoints da especial, marcada pelo forte calor e pelas desafiadoras dunas da região de Catamarca. Contudo, na liderança geral nas motos, nada mudou: Matthias Walkner, em quinto lugar na especial segue líder e muito perto do seu primeiro título do Dakar.
 
Kevin Benavides, um dos muitos pilotos que enfrentaram problemas e erraram no waypoint 7 na tensa etapa entre Salta e Belén, voltou a andar bem e fechou a especial desta quarta-feira em segundo lugar, com pouco mais de 1min de atraso para Price. Outro que voltou a andar bem depois dos problemas da última quarta-feira foi Antoine Meo, que se colocou em terceiro lugar, à frente do norte-americano Ricky Brabeck. KTM nas posições ímpares e Honda nas pares na chegada a Chilecito.
Toby Price foi o grande nome desta quarta-feira nas motos (Foto: Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool)
Em quinto lugar na etapa, Walkner agora tem a preocupação de fazer um rali limpo de erros e conservador para chegar no próximo sábado, em Córdoba, e comemorar a conquista de um título histórico: o da 40ª edição do Rali Dakar.
 
Gerrard Farres Guell, que deu um enorme salto na classificação geral depois de ter finalizado em terceiro a caótica especial em Belén, foi novamente bem e finalizou a especial desta quarta-feira em sexto lugar com sua KTM, terminando à frente justamente do líder no geral. 
 
Por sua vez, o chileno Pablo Quintanilla, segundo colocado na décima etapa, começou bem o trecho cronometrado até Chilecito, mas enfrentou problemas no meio da especial e perdeu muito tempo, ficando longe dos dez primeiros. 
 

Quem se deu bem foi o francês Johnny Aubert, da Gas Gas, que se colocou em sétimo no geral, seguido pelo veterano espanhol Juan Pedrero García e por outro espanhol, Oriol Mena. O chileno José Ignacio Cornejo Flormino concluiu a lista dos dez melhores da quente 11ª especial.
 
Na classificação geral, Walkner está exatos 32min à frente de Benavides. Price, com a vitória nesta tarde, é o terceiro lugar no geral, porém 39min17s distante do seu companheiro de equipe na KTM. Farres Guell mantém o quarto lugar, dez minutos atrás de Price. E Antoine Meo completa a relação dos cinco primeiros, com 59min05s de atraso para Walkner nesta reta final do Rali Dakar 2018.


Argentino dá show nos quadris. E chileno mantém dianteira
 
Nicolas Cavigliasso, um dia depois de travar um grande duelo com o compatriota Jeremias González Ferioli, desta vez brilhou sozinho. E como brilhou o argentino nesta quarta-feira (17). Na 11ª especial do Rali Dakar para os quadriciclos, Cavigliasso não teve adversários e liderou todo o trecho cronometrado, do início ao fim, para faturar sua segunda especial na prova.
 
O novato sobrou até perante o líder geral do Dakar nos quadris e grande favorito ao título. Ignacio Casale terminou a especial na segunda posição, mas foi 15min14s mais lento que o argentino de 26 anos. Dmitry Shilov, cazaque que terminou na terceira posição, ficou ainda mais atrás, quase uma ‘eternidade’: 34min49s de atraso para o ponteiro.
Ignacio Casale está a três passos do bicampeonato do Dakar nos quadris (Foto: Red Bull Content Pool)
Desta vez, González Ferioli, estreante como Cavigliasso, não repetiu a grande atuação dos últimos dias, mas ainda assim terminou na quarta posição, à frente do francês Axel Dutrie e do brasileiro Marcelo Medeiros. O maranhense, que encara seu terceiro Dakar, vem de bons resultados e uma grande recuperação. E foi assim, na base da recuperação, que Medeiros saiu de 25º no começo da especial para finalizar em uma positiva sexta posição, ficando a 53min19s do vencedor da etapa.
 
A classificação geral dos quadris não sofreu alteração no que diz respeito aos cinco primeiros. Casale segue de forma retumbante rumo ao bi do Dakar. Agora, o chileno lidera com tempo total de 46h04min20s, sendo 1h34min13s de vantagem para Cavigliasso. González Ferioli está em terceiro, com 2h09min15s de atraso. Axel Dutrie é o quarto, enquanto Marcelo Medeiros viu a diferença para Casale aumentar para 4h22min22s.