Rali

Peterhansel vence especial em Belén e assume segundo lugar no Rali Dakar. E Sainz administra vantagem

Stéphane Peterhansel e Jean-Paul Cottret venceram mais uma especial na edição 40 do Rali Dakar e ainda tentam alcançar o líder Carlos Sainz na classificação geral da prova. Nesta terça-feira, entre Salta e Belén, os franceses da Peugeot conseguiam conquistar o segundo lugar de Nassser Al-Attiyah, que enfrentou problemas com seu Toyota Hilux no fim da especial. E Sainz, mesmo em terceiro na etapa, ainda mantém uma folga confortável na ponta
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Carlos Sainz (Foto: Red Bull Content Pool)

10ª ETAPA | 16 de janeiro
Salta (ARG) – Belén (ARG)
Trecho cronometrado: 372 km
Percurso total: 795 km
 
Stéphane Peterhansel não desiste de conquistar a incrível marca de 14 títulos no Rali Dakar. Sem nada a perder, o ‘Monsieur Dakar’ venceu, ao lado do inseparável navegador Jean-Paul Cottret, a décima especial da 40ª edição do maior rali do mundo, entre Salta e Belén, na Argentina. Foi um grande desafio para pilotos e, sobretudo navegadores, face às grandes dunas da zona tucumana. Com uma falha na suspensão do Toyota Hilux de Nasser Al-Attiyah no fim da especial, agora a dupla do carro #300 assumiu a segunda colocação na classificação geral.
 
Peterhansel e Cottret fecharam o trecho cronometrado de 372 km em 4h43min46s depois de terem dominado todo o percurso, liderando em todas as passagens de waypoint. A cronometragem do Dakar, contudo, ‘congelou’ os tempos na sexta zona de medição depois da polêmica prova de motos, em que pilotos que se perderam, como Kevin Benavides, apontaram problemas na planilha de navegação. Mas depois, com os resultados corrigidos, Peterhansel confirmou a vitória.
Stephane Peterhansel deu outro show na especial entre Salta e Belén (Foto: Red Bull Content Pool)
A segunda colocação, que tinha tudo para ser de Nasser e Matthieu Baumel, acabou ficando com seu companheiro de equipe. Giniel de Villiers e o alemão Dirk Von Zitzewitz, dupla campeã do Dakar com a Volkswagen em 2009, ficou a 8min46s de Peterhansel e Cottret. E então apareceu o líder da classificação geral. 
 
Depois da polêmica punição por ter sido considerado culpado pelo toque no quadriciclo do holandês Kees Koolen, Carlos Sainz fechou a especial em terceiro ao lado do navegador espanhol Lucas Cruz. A dupla da Peugeot ficou a 13min07s dos vencedores da etapa. Destaque para outro Peugeot, mas não o de fábrica. Khalid Al Qassimi, ao lado do navegador francês Xavier Panseri, foi o quarto colocado, enquanto Bernhard Ten Brinke e Michel Perin, de Toyota Hilux, fecharam a lista dos cinco primeiros.
 
O prejuízo maior ficou mesmo com Nasser, que de segundo lugar na especial acabou fechando a disputa até Belén na décima colocação. E isso mexeu diretamente na classificação geral entre os carros.
 

Mesmo com os dez minutos de punição, Sainz se mantém como líder do Dakar com tempo total de 32h10min53s, 50min35s à frente de Peterhansel. Al-Attiyah caiu para terceiro, seguido pelos seus companheiros de equipe: Ten Brinke, em quarto lugar, e De Villiers completando o top-5.

Iveco emenda terceira dobradinha nos caminhões e ameaça Nikolaev
 
Assim como aconteceu na oitava especial do Rali Dakar nos ‘brutos’, a Iveco encaixou 1-2 também nesta terça-feira, com o holandês Ton Van Genugten liderando os trabalhos até a chegada a Belén. O dono do caminhão #509 completou a especial em 5h31min49s, com apenas 33s de frente para Federico Villagra. O ‘Coyote’, principal nome sul-americano na modalidade neste ano, foi seguido pelo MAS de Siarhei Viazovich, de Belarus. 
 
Só então terminaram os caminhões da Kamaz. E Eduard Nikolaev liderou o ‘exército russo’, mas ficou a 22min14s do tempo do vencedor da especial. O caminhão liderado por Airat Mardeev fechou a especial em quinto, enquanto Dmitry Sotnikov completou as seis primeiras colocações nos ‘brutos’.
Eduard Nikolaev teve uma especial ruim e agora tem a vitória nos caminhões ameaçada por Villagra (Foto: Red Bull Content Pool)
Agora, faltando quatro etapas para o fim do Rali Dakar, a vantagem de Nikolaev deixou de ser confortável, ainda mais quando se leva em conta que as especiais pela frente são consideradas dificílimas. O russo agora está 24min44s à frente de Villagra, e só os dois estão diretamente envolvidos na luta ela vitória, ao menos por enquanto. Viazovich aparece em terceiro, mas está distante 3h48min30s do líder no geral entre os caminhões.
 
Nesta quarta-feira, pilotos e navegadores vão encarar outro grande desafio: o começo da segunda etapa Maratona do Dakar. A caravana do Dakar para carros e caminhões vai fazer um percurso diferente de motos e quadriciclos, que vão até Chilecito. Para os competidores de carros, caminhões e UTVs, a organização prevê um trecho especial de 280 km e um percurso total de 746 km até Fiambalá, conhecida pelas temíveis dunas.