Rali
14/01/2018 11:53

Novo líder, Sainz vê Dakar muito duro e fala em “questão de sobreviver”: “Qualquer dia a surpresa pode chegar”

Líder do Rali Dakar na disputa entre os carros após o revés de Stéphane Peterhansel, Carlos Sainz classificou como “muito dura” a prova de 2018. Espanhol avaliou que agora é questão de sobreviver e lembrou que surpresas ainda podem acontecer nos dias restantes
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Stéphane Peterhansel está a mais de 30 minutos à frente de Carlos Sainz (Foto: Dakar/Twitter)

A edição 2018 do Rali Dakar é daquelas para ninguém botar defeitos. Passadas as primeiras sete especiais, a prova já registra 110 abandonos, uma média de 32,8%.
 
Carlos Sainz destacou que a surpresa ainda pode dar as caras no Dakar (Foto: Peugeot)

“É um rali que está sendo muito duro”, disse Sainz. “A etapa de hoje também foi dura, com um trecho off-road também muito complicado e com muito barro. Já é uma questão de sobreviver”, resumiu. 
 
Agora com 1h11min29s de vantagem em relação a Nasser Al-Attiyah, Sainz avaliou que é momento de encarar um dia após o outro, mas sabendo que surpresas ainda podem acontecer.
 
“Ainda falta, porém, muita corrida. Para nós, agora é importante ir passando dia após dia sem problemas. Mas falta tanto que já vimos que qualquer dia a surpresa pode chegar”, comentou.
 
Vencedor do Dakar de 2010, Sainz avaliou que a chave para o bicampeonato é tratar de não arriscar além do necessário.
 
“Você tem de tratar de não arriscar além da conta, mas ir com um ritmo adequado, porque se você vai lento, acho que fica mais exposto a cometer erros”, concluiu.


 
EM BUSCA DO SONHO DA F1

PIETRO FITTIPALDI REVELA QUE NEGOCIOU COM A SAUBER PARA 2018