Rali
17/01/2018 13:53

Exausto e com joelho lesionado, vice-líder Barreda abandona Dakar e deixa Walkner mais perto do título

Joan Barreda foi uma das grandes estrelas do Rali Dakar nas motos. Vencedor de três especiais e líder da classificação no geral depois da quinta etapa, o espanhol despontou como a grande aposta da Honda para finalmente desbancar a KTM, dominante na competição desde 2001. Mas no oitavo dia de prova, o piloto de 34 anos sofreu uma queda e lesionou o ligamento de um dos joelhos. Daí ficou tudo muito mais difícil, até que a quarta-feira decretou seu destino na competição
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Joan Barreda, Marc Coma e Kevin Benavides (Foto: André Lavadinho/@World)

Não deu para Joan Barreda. O espanhol, que foi um dos grandes destaques do Rali Dakar na disputa das motos em 2018, abandonou a prova nesta quarta-feira (17), durante a 11ª especial, entre Belén e Chilecito. Barreda, mesmo sendo um dos muitos que se perderam no waypoint 7, encerrou o terrível décimo dia de competições como vice-líder no geral, 39min atrás do agora novo ponteiro, Matthias Walkner, teve de lidar, desde a oitava etapa, com uma lesão séria no ligamento de um dos joelhos. Na especial até Chilecito, o piloto da Honda se perdeu e, exausto, acabou por deixar a competição.
 
A notícia da saída de Barreda foi confirmada pela organização do Rali Dakar. “Joan Barreda decidiu jogar a toalha depois da difícil etapa de ontem. O espanhol, exausto e com uma lesão no joelho há quatro dias, deixou o rali em que pese ocupar o segundo lugar”, anunciou o site oficial do maior rali do mundo.
Exausto, Barreda não suportou as dores e encerrou sua participação no Dakar 2018 (Foto: Dakar/Twitter)
Ao longo de uma especial de 280 km, Barreda se perdeu completamente e foi parar no vilarejo de Medanitos, distante quase 200 km de Chilecito. Com o erro de navegação e, correndo no sacrifício após a lesão, o espanhol teve de desistir da disputa depois de se ver longe da luta pelo título com a vantagem aberta por Walkner.
 

Barreda foi uma das grandes estrelas do Dakar e despontou como um dos favoritos ao título. O espanhol de 34 anos venceu três especiais e chegou a liderar a disputa no quinto dia, antes de ter sido superado por Adrien Van Beveren, que também sucumbiu aos desafios da décima etapa e abandonou após uma forte queda.

Joan era a grande aposta da Honda, que ainda conta com o argentino Kevin Benavides na luta pelo título, embora esteja a mais de 40 minutos de Walkner. Barreda tinha tudo para faturar seu melhor resultado no Dakar. Seu maior feito, em oito participações no maior rali do mundo, foi o quinto lugar, conquistado em 2015.
 
Assim, sem um dos seus principais concorrentes, Walkner está muito mais perto de conquistar um título inédito na sua carreira. E também mais perto de manter a dinastia da KTM, invicta no Rali Dakar desde a edição de 2001.