Rali

Com liderança nas mãos, Van Beveren sofre queda no fim da décima especial, abandona e perde chance de título no Dakar

A décima etapa do Rali Dakar nas motos foi inacreditável e proporcionou enorme reviravolta na luta pelo título. Ponteiros como Kevin Benavides e Toby Price se perderam na especial, entre Salta e Belén. E Adrien Van Beveren, da Yamaha, não se perdeu e vinha firme para a vitória nesta terça-feira, mas sofreu uma queda quando restavam apenas 3 km para o fim da disputa e abandonou. Matthias Walkner foi o primeiro piloto a chegar no acampamento em Salta
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Adrien Van Beveren (Foto: Edoardo Bauer/RallyZone/Yamaha)

No Rali Dakar, jamais dá para dizer que algum resultado já está garantido de antemão. A insana terça-feira (16) na competição das motos, a mais imprevisível e empolgante da competição até o momento, é prova disso. Na especial entre Salta e Belén, na Argentina, ponteiros como Kevin Benavides — que liderou a maior parte do trecho cronometrado —, Toby Price e Joan Barreda erraram o caminho e ficaram perdidos por mais de 40 km. Adrien Van Beveren não se perdeu e caminhava firme não só para vencer a especial, mas também para abrir grande diferença na liderança geral do Dakar. Mas aí o azar sorriu para francês.
 
Quando restavam apenas 3 km de um total de 372 km, Van Beveren sofreu uma queda, conforme informa a própria organização do Dakar por meio das redes sociais. Grogue, Adrien ainda tentou voltar à prova, mas caiu depois de rodar mais alguns metros antes de cair de novo. Em seguida, foi confirmado o abandono do então líder do Rali Dakar nas motos. Van Beveren sofreu fratura na clavícula direita, trauma torácico e também lesões na coluna. 
 
Os efeitos do abandono de Van Beveren vão influenciar diretamente na sequência da disputa do Dakar nas motos. Já se pode dizer, seguramente, que Matthias Walkner é o novo líder da competição, uma vez que o austríaco foi o primeiro piloto a cruzar a linha de meta em Belén. O piloto da KTM terminou a especial em 4h52min56s.
Adrien Van Beveren vinha como líder, mas sofreu uma queda no fim da especial e abandonou o Dakar(Foto: Dakar/Twitter)
Não foi um dia fácil, definitivamente. Primeiro, porque os pilotos das motos começaram o longo deslocamento de 424 km até o início da especial, rumo a Belén, às 4h30 no horário local (5h30 de Brasília). 
 
Para o trecho da etapa em si, que teve Antoine Meo abrindo o percurso — por ter vencido a última especial da prova —, as grandes dificuldades foram por conta da navegação em razão das densas dunas da chamada zona tucumana, chegando a 3.000 m de altitude, antes de cruzar trechos de rios secos na segunda parte da especial. O calor também foi um extremo adversário dos competidores, com a temperatura ambiente chegando aos 43ºC no sol e 38ºC na sombra.
 

Um grande erro coletivo de navegação praticamente tirou da luta pela vitória Benavides, Price e Joan Barreda, de modo que Van Beveren seguia firme para vencer a especial e se consolidar como o grande favorito depois de encerrar o último domingo com apenas 22s de frente para Benavides no geral. Mas tudo mudou, da pior forma, para o francês no fim da tarde desta terça-feira.
 
E a KTM, que parecia ter sua dinastia abalada depois do grande desempenho de Benavides e Van Beveren, volta a sorrir e a ter totais condições de faturar mais uma vitória no Rali Dakar nas motos, num domínio que vem, de forma ininterrupta, desde a edição de 2001.