Outras

Nasr cita nova experiência em temporada completa no SportsCar e admite vontade de testar Indy e F-E: “Estão todas no radar”

Felipe Nasr tem vivido uma experiência bastante diferente neste ano. Mudando seu foco da carreira, vai competir a temporada completa da SportsCar nos Estados Unidos. Sobre o que tem vivido, o piloto comentou como já se sente habituado no cenário do automobilismo americano, e admitiu que tem vontade de experimentar carros da Indy e F-E
Warm Up / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
 Felipe Nasr (Foto: Action Express)
Cada vez mais os pilotos têm percebido que a felicidade não mora exclusivamente na F1. Seja por falta de oportunidade ou até mesmo de patrocínio, começam a procurar categorias também de alto nível em que podem ser competitivos e brigar com grandes nomes do automobilismo.
 
Felipe Nasr entende isso e tem vivido uma experiência bastante nova em 2018. Neste ano, o brasiliense compete no SportsCar, categoria americana de provas de longa duração. Logo em sua estreia, nas 24 Horas de Daytona, fez bonito e recebeu a bandeira quadriculada no pódio. O competidor, inclusive, avaliou a corrida, ao GRANDE PRÊMIO, como “incrível, uma foi uma prova muito animada, muito bacana, uma experiência incrível. Foi um bom início de temporada”.
Felipe Nasr (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar)
Em entrevista ao GRANDE PRÊMIO durante a Corrida de Duplas da Stock Car, onde foi parceiro de Ricardo Maurício e recebeu a bandeira quadriculada na quarta colocação, o competidor explicou agora a meta deste ano, que é se adaptar nos Estados Unidos e trazer o título para casa. “Eu estou com o objetivo de ganhar o campeonato, eu acho que é esse meu foco, é dar a prioridade ao IMSA”, explicou.
 
“Esse é um ano muito importante para a categoria, você tem diversas equipes competitivas, com pilotos competitivos, para mim está sendo uma nova experiência. Como sempre fiz minha vida na Europa, estou conhecendo circuitos americanos, o ambiente de trabalho nos Estados Unidos também é bastante diferente, mas estou gostando muito. Estou bem habituado, me sentindo em casa”, continuou.
 
Mas bem como explicou, Felipe teve sua carreira inteira baseada na Europa e especialmente nos carros de fórmula, com passagens pela F3 Britânica, GP2 e F1. Questionado se gostaria de novamente pilotar um desses carros, explicou que para o futuro espera poder ao menos testar um Indy ou F-E.
 
“Tanto a Indy quanto a F-E são categorias que eu tenho vontade de participar ou fazer um teste. Então estão todas no radar, aí é uma questão de vários fatores se abrirem. Tenho certeza que a F-E é uma categoria que tem muito para crescer nos próximos anos”, encerrou.