Outras

Chadwick diz que título é “enorme” para carreira e revela que buscou MRF Challenge para “exposição e experiência”

Jamie Chadwick entrou para a história ao se tornar a primeira mulher a conquistar o título da MRF Challenge. Ao falar sobre o título alcançado, a pilota afirmou que foi um feito enorme em sua carreira
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Jamie Chadwick entrou para a história do esporte a motor no final de semana. Após uma ótima campanha na temporada 2018/19, conquistou o título da MRF Challenge, feito esse que ela avaliou como enorme para sua carreira.
 
O inicio da temporada não foi tão positivo para a inglesa, que saiu de Dubai com um déficit de 28 pontos para Max Defourny. Entretanto, na rodada seguinte, no Bahrein, a pilota conquistou três das cinco vitórias, entrando novamente na briga pelo título.
 
Em Chennai, então, subiu mais três vezes ao degrau mais alto do pódio, conseguindo então o caneco do campeonato. Chadwick fechou a classificação com 37 pontos de vantagem para o belga.
 
Após a corrida, a inglesa afirmou que “entrei no MRF Challenge para ganhar experiência e exposição, não vencer o campeonato. Mas após vencer três corridas no Bahrein, percebi que tinha uma chance e então a busquei nesse final de semana.”
Jamie Chadwick celebra o título do MRF Challenge em Chennai (Foto: Twitter)
A pilota também falou sobre o significado da conquista, avaliando que “é enorme. É meu primeiro campeonato em fórmula e mostra como trabalhamos duro nos últimos anos, e nos últimos meses especialmente”, pontuou.
 
“Os caras que cuidaram de mim se esforçaram demais. É tão difícil as coisas acabarem se encaixando assim, darem certo, então quando dá... vou chorar em breve”, completou a pilota.
 
Agora, Chadwick está de olho no que vai fazer nos próximos meses, mirando outras categorias junto com a Aston Martin. “O plano é definitivamente me encaixar em outra categoria. Fechei um acordo com a Aston martin, então espero que isso envolva um pouco de corrida também. Algum teste na Fórmula E sem dúvidas”, falou.
 
“Obviamente não vai ser uma temporada completa. Caso eu ingresse na W Series, não vai ser um ano completo. Mas há muito no automobilismo no momento, seja Euroformula Open ou outra categoria. Espero que algo em GT – GT4, GT3, 24 Horas de Nürburgring. Há muito para analisar. Espero que os planos sejam anunciados em breve”, encerrou.
 
Jamie foi uma das 28 pilotas que avançaram para a fase final da seletiva da temporada de estreia da W Series. A inglesa ainda participou de alguns testes coletivos da Fórmula E.