Nascar

Problemas de saúde persistem, e Kahne anuncia decisão de antecipar aposentadoria na Nascar

Kasey Kahne já havia anunciado que deixaria a Nascar ao fim de 2018, mas precisou antecipar o adeus. Sofrendo com problemas de desgaste físico e desidratação, o piloto de 38 anos não recebeu aval médico para retornar ao carro #95
Warm Up / Redação GP, de Berlim
 Kasey Kahne (Foto: Nascar Media)
O que era para ser um afastamento temporário de Kasey Kahne em sua última temporada da Nascar virou algo definitivo. O piloto anunciou na noite desta terça-feira (10) a decisão de não voltar às pistas da categoria em 2018, antecipando a aposentadoria em algumas semanas. Kahne não conseguiu reverter o alto desgaste físico que começou a sofrer nas longas provas da categoria e optou por não correr novos riscos.
 
"Dizer que estou decepcionado por descobrir que não estou clinicamente liberado para a sequência da temporada é o mínimo”, disse Kahne em comunicado divulgado nas redes sociais. “Tinha esperança de que tudo fosse correr bem e eu poderia terminar a temporada em alta no #95. Não é esse o caso, infelizmente”, seguiu.
 
“Estou perfeitamente saudável fora do carro, me sinto bem e os doutores falaram que não tenho problemas de saúde, mas meu corpo simplesmente não consegue aguentar os longos períodos de tempo dentro de um carro. Não conseguimos controlar os níveis de suor para me manter hidratado suficiente e evitar qualquer dano ao meu corpo”, comentou.
Kasey Kahne não vai conseguir terminar a temporada 2018 (Foto: Nascar Media)
O grande susto de Kahne veio após a etapa de Darlington da Nascar, realizada em uma noite particularmente quente. O piloto deixou o carro se queixando de altos níveis de exaustão e passou a se dedicar à busca para uma solução com tratamento médico. O ex-piloto da equipe Hendrick realizou teste com um carro no oval de Charlotte, mas não conseguiu se sentir melhor.
 
“A Nascar foi uma ótima casa para mim por 15 anos e desejo a todos na equipe do #95 a melhor sorte possível nessas últimas corridas. Estou ansioso para voltar logo aos carros de sprint. Com corridas muito mais curtas e cockpit aberto, não é um problema para minha saúde e hidratação”, encerrou. Kahne sempre foi figura recorrente nas corridas de sprint, realizadas em ovais de terra com carros abertos.
 
Kahne deixa a Nascar com 18 vitórias ao longo de 529 corridas. Ainda jovem, encantou com o #9 da Evernham e seguiu evoluindo até conseguir um contrato com a Hendrick, equipe que defendeu entre 2012 e 2017. Sem grandes resultados nas temporadas recentes, o piloto perdeu a vaga e precisou recorrer à pequena Leavine Family Racing.