Nascar

Hendrick domina treino classificatório, e Byron conquista primeira pole da carreira na Daytona 500

Entra ano, sai ano, e a Hendrick continua muito forte em treinos classificatórios em Daytona. A equipe teve volta 0s4 mais rápida do que a da concorrência e proporcionou uma disputa particular entre Alex Bowman e William Byron, que levou a melhor

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
Só uma equipe parecia capaz de anotar a pole-position no treino classificatório deste domingo (10) para as 500 Milhas de Daytona. Em rara demonstração de força em superspeedway, a Hendrick colocou os quatro carros nas quatro primeiras posições da tabela de tempos. O melhor de todos foi William Byron, que teve a honra de alcançar a primeira pole-position na divisão principal da Nascar logo em uma das provas mais icônicas do calendário.
 
Byron conquistou a pole em sua primeira aparição com Chad Knaus como chefe de equipe. O lendário parceiro de Jimmie Johnson rompeu o vínculo ao fim de 2018, sendo realocado na Hendrick. Mas, mais do que uma vitória de Knaus ou de Byron, é uma conquista da escuderia: já são cinco poles consecutivas nas 500 Milhas de Daytona, incluindo também resultados de Dale Earnhardt Jr., Elliott e Bowman.
 
Byron teve como principal ameaça Alex Bowman, que liderou o Round 1 do treino classificatório. O #88 fechou a fase com volta 0s024 mais rápida, mas se viu com déficit de 0s036 na hora da verdade. Jimmie Johnson e Chase Elliott, com os outros dois carros da Hendrick, surgiram mais de 0s1 mais lentos. Daniel Hemric foi o melhor ‘do resto’, mas 0s444 mais lento que Byron.
William Byron, pole, celebra em Daytona (Foto: Nascar Media)
Sexto, Joey Logano foi o melhor piloto da Ford, que estreia o Mustang na divisão principal. Martin Truex Jr., foi o melhor da Toyota, imediatamente atrás. O top-10 de pilotos mais rápidos ainda teve Clint Bowyer, Brad Keselowski e Austin Dillon – vencedor da Daytona 500 de 2018.
 
A questão é que, salvo Byron e Bowman, o treino classificatório não serviu para definir muitas coisas. Todos os outros pilotos vão ter posições definidas no grid de largada através dos Duels, em que o grid é dividido em dois – pilotos de posições ímpares em um grupo e de posições pares em outro. As posições finais nas corridas de classificação é que determina o posicionamento do grid atrás da primeira fila.
 
A Daytona 500 acontece no próximo domingo, abrindo de vez a temporada 2019 da Nascar.