Nascar

Danica revela que decidiu se aposentar por considerar automobilismo ambiente “miserável”: “Me deixou triste e negativa”

Pilota americana tem sofrido na busca por uma equipe para se despedir ao automobilismo nas 500 Milhas de Daytona e nas 500 Milhas de Indianápolis. E isso é simbólico do por que ela vai abandonar o esporte
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Danica Patrick foi tirar satisfação com Denny Hamlin (Foto: Jared C. Tilton/Getty Images)

Danica Patrick segue em sua busca para encontrar uma equipe para correr a Daytona 500 e a Indy 500 em 2018, no que ela pretende que seja sua despedida do automobilismo. Vem sendo difícil e, na última semana, ela ao menos encontrou um patrocinador para sua empreitada - mas ainda nada de time que a receba para as corridas. 

Agora, em entrevista para o podcast 'Rogan Experience', ela usou palavras fortes para explicar por que deixará as pistas, na última sexta-feira (19).

"Acho que todo mundo pensa que por corridas ser o que faço, no nível em que faço, que é a única coisa que eu faria na vida. E a verdade é que não é. Gosto de correr, mas há um monte de coisas sobre isso que eu não gosto, também", declarou.
Danica Patrick  (Foto: Nascar)
Segundo Danica, ela é agradecida pelo que o esporte a proporcionou, mas que nem assistir corridas ela consegue mais.

"O ambiente é tão triste e negativo por boa parte do tempo. A maior parte da vida em corridas é miserável", afirmou a pilota. "Alguns dias são bons, mas a maior pare do tempo é infeliz. Você nunca está satisfeito, fica desejando que alguém tivesse te tratado melhor, há muita coisa negativa sobre."

Ela reclama também que precisa ser sempre 'cuidadosa" com todos ao redor, porque todos se veem muito durante todo o ano: especialmente na Nascar, com corridas quase todos os finais de semana durante a temporada.

"Há sempre muita negatividade. Não me parece mais um ambiente em que eu queira estar. Quero estar num lugar feliz, fazendo coisas que me trazem felicidade. Eu percebi que sentia falta disso, e quero mais", disse. "Essa é a vida. Você quer coisas que te façam feliz", completou.

Na última semana, Danica encerrou negociações com a Ganassi para correr na Indy 500. Ela também já havia sido descartada pela Schmidt-Peterson.