MotoGP
12/07/2018 06:00

Stoner rotula separação como “uma pena” e diz que Lorenzo “teve de se reinventar na Ducati”

Bicampeão da MotoGP e atual piloto de testes da Ducati, Casey Stoner classificou como “uma pena” a separação entre a marca italiana e Jorge Lorenzo. O australiano avaliou que o #99 precisou de reinventar
Warm Up / Redação GP,  de São Paulo
 Casey Stoner (Foto: Ducati)

Casey Stoner avaliou que é “uma pena” que a relação entre Ducati e Jorge Lorenzo tenha chegado ao fim. O #99 está em seu segundo ano com a casa de Bolonha, mas já acertou com a Honda para formar par com Marc Márquez na Honda a partir do próximo ano.
 
Hoje piloto de testes da Ducati, Stoner avaliou que Lorenzo precisou de tempo para se adaptar à Desmosedici. Questionado se a separação é uma pena, Casey respondeu: “Acho que sim, é uma pena”.
Casey Stoner avaliou que Jorge Lorenzo precisou de tempo na Ducati (Foto: Ducati)
“Jorge teve de se reinventar na Ducati com tempo e experiência”, ponderou. “As vitórias em Mugello e Barcelona não foram por acaso: ele prefere a velocidade de curvas longas e fluidas e, nas duas ocasiões, conseguiu escapar com a vitória. Antes do fim da temporada, Jorge pode vencer outra vez”, apostou.
 
O australiano, aliás, apoiou a decisão da Ducati de substituir Lorenzo com Danilo Petrucci e elogiou o trabalho do italiano.
 
“Eu conheço Danilo bem e ele é, verdadeiramente, um piloto forte. Petrux trabalha duro nos testes, dá indicações excelentes aos mecânicos durante a fase de desenvolvimento da Desmosedici e é rápido na corrida”, elogiou, “Petrucci é mais rápido do que Jack Miller. Ele é a escolha certa para a Ducati em 2019”, comentou.
 
Por fim, Stoner avaliou que Márquez e Lorenzo vão formar uma “combinação explosiva” na Honda a partir do próximo ano.
 
“Vai, definitivamente, ser uma dupla explosiva, mas não me peça por previsões. Vai, com certeza, ser interessante, como assistir um filme no cinema comendo pipoca”, concluiu.