MotoGP

Márquez fica sem entender motivo de queda em Austin, mas assume culpa: “Claro que foi um erro”

Marc Márquez assumiu a culpa pela queda que encerrou sua sequência invicta no Circuito das Américas. Mesmo sem entender o motivo da queda, o #93 avaliou que tem culpa no resultado

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
🏍️ Enquete: que nota você dá para o GP das Américas de MotoGP
🏍️ Confira a classificação da MotoGP após GP das Américas

Marc Márquez assumiu a culpa pelo fim de sua invencibilidade no Circuito das Américas. O #93 disse não entender o que causou a queda na corrida de domingo (14) da MotoGP, mas garantiu que cometeu um erro.
 
Largando da pole, Márquez começou a prova com um ritmo dominante e logo abriu 3s6 de vantagem para Valentino Rossi, o segundo colocado. Na nona das 20 voltas do GP das Américas, no entanto, o espanhol perdeu a frente da RC213V no fim da reta oposta e caiu. O titular da Honda ainda tentou religar a moto, mas sofreu uma nova queda e abandonou, abrindo caminho para a primeira vitória de Álex Rins na categoria.
 
“Foram seis anos incríveis aqui, mas hoje eu cometi um grande erro. Foi bem quando eu cheguei na curva”, disse Márquez. “Pedi desculpas ao time, agora peço desculpas aos fãs, porque foi um erro meu. Mas, por outro lado, não é a mesma coisa cometer um erro liderando a corrida do que lutando pela quinta colocação, por exemplo, então o nível está lá”, seguiu.
Depois de queda, Marc Márquez tenta voltar ao GP das Américas, sem sucesso (Foto: Reprodução)
Resultado de imagem para emoji microfonePaddockast #14: O melhor piloto de MotoGP de todos os tempos



 Ouça no Spotify
 Ouça no iTunes
 Ouça no Android
 Ouça no playerFM

“Eu tentei ligar a moto no tranco, mas a padaleira já estava danificada. Tentei empurrar a moto, mas não estava funcionando. E aí eu caí do outro lado. Naquele momento, foi difícil, mas temos outra corrida em duas semanas, então não é um problema”, ponderou. “O positivo é que estamos só nove pontos atrás do líder. É verdade que hoje nós cometemos um erro. Isso pode acontecer. Somos humanos e o mais importante é aprender com isso, entender e tentar ser mais forte em Jerez”, comentou.
 
Mesmo reconhecendo a responsabilidade pela culpa, Márquez contou que não sabe bem o que aconteceu.
 
“Foi um erro. Claro que foi um erro, porque você não cai liderando a corrida com 3s5. Isso foi um erro. Mas é verdade que quando compramos os dados, foi muito similar à volta anterior, mas quando você está rodando em um ritmo muito constante, você se sente forte, pode acontecer”, avaliou. “Ontem nós tivemos pequenos problemas. Esta manhã, no warm-up, nós resolvemos. Por isso, eu estava rodando em um ritmo muito bom na corrida, só estava forçando no início para chegar na frente, mas aí já vi uma diferença e reduzi para 2min04s5, pois, para mim, esse era um bom ritmo, eu estava confortável lá”, continuou. 
 
“Mas, sabe, às vezes as coisas acontecem. As corridas são assim e isso é algo que pode acontecer. Estou desapontado, foi difícil de entender, mas é assim”, comentou.
 
Ainda, Márquez contou que foi pego desprevenido, já que não teve nenhum alerta anterior à queda.
 
“Não tive nenhum alerta durante toda a corrida, mas é verdade que o fim de semana foi estranho, e eu não pude trabalhar normalmente, ninguém pôde trabalhar da melhor forma. Mas não tive nenhum alerta, estava rodando muito bem, mais ou menos como na Argentina”, comparou.
 
Apesar do revés, Márquez manteve a calma, já que a diferença para Andrea Dovizioso na classificação do Mundial ainda é pequena.
 
“Só estamos nove pontos atrás do primeiro, que é Dovizioso. Estou feliz, porque estou lá no campeonato”, disse. “Mas o mais importante é o que eu disse. Sinto que este ano nós temos um bom pacote, acho que temos um nível muito bom e não me preocupo”, resumiu.
 
“Temos corridas o bastante pela frente, terão mais erros, talvez meus ou talvez dos outros. Porque o campeonato é muito longo, mas é importante aprender com isso”, declarou.
 
Por fim, Márquez negou que seja um alivio não ter mais a pressão de manter um histórico perfeito no Circuito das Américas.
 
“Não, teve essa pressão nos últimos dois ou três anos, então não é um grande problema. Repito, se você cai seguindo alguém ou lutando na última volta, você está acima do limite, então, sim. Mas se você cai quando tem 3s5 de vantagem...”, falou. “Mas as corridas são assim. Às vezes neste esporte você comete um erro onde não espera. Então hoje foi esse tipo de erro”, encerrou.