MotoGP

Márquez cita grande melhora da Yamaha e pressiona Honda: “Rivais estão chegando mais e mais perto”

Depois de seguir Johann Zarco e Valentino Rossi no GP da Malásia, Marc Márquez constatou a evolução apresentada pela Yamaha nesta reta final da temporada 2018. Espanhol elogiou a temporada da Honda, mas cobrou melhora e apontou a aproximação da concorrência
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Valentino Rossi, Marc Márquez e Johann Zarco (Foto: Repsol)
A performance da Yamaha desde o GP da Tailândia já ligou o alerta na concorrência. Campeão antecipado de 2018, Marc Márquez avaliou que a YZR-M1 agora tem aceleração e aderência “incríveis” e cobrou atenção da Honda.
 
A casa de Iwata sofreu ao longo de todo o ano e enfrentou sua maior seca na classe rainha do Mundial de Motovelocidade, mas deu importantes passos desde o GP da Tailândia. Na Austrália, Maverick Viñales conseguiu encerrar o jejum da marca, enquanto que Valentino Rossi liderou a maior parte do GP da Malásia desde fim de semana antes de cair e entregar a vitória nas mãos de Márquez.
 
Depois de enfrentar Johann Zarco e Rossi em Sepang, Marc constatou a melhora da Yamaha e exaltou a aceleração e a aderência do protótipo dos três diapasões.
Marc Márquez viu de perto a melhora da Yamaha (Foto: Yamaha)
“Este fim de semana, a Yamaha foi extremamente rápida”, disse Márquez. “Minha moto estava pulando e sofrendo com aderência, e quando estava andando atrás de Johann, mas, especialmente, de Valentino, eles tinham uma aceleração incrível. Uma aderência incrível”, seguiu.
 
“Aqui foi um dos circuitos em que os pneus não desgastaram, e parece que a Yamaha melhorou muito. Não sei se é a eletrônica ou a aceleração, mas agora eles podem frear forte e, especialmente, têm uma aceleração muito boa na saída de curva. Isso faz a diferença”, ponderou. 
 
Em um ano onde a Ducati se apresentou como principal rival, Márquez celebrou o triunfo em Malásia, especialmente por ter previsto dificuldades nesta penúltima etapa do ano.
 
“Normalmente, nós lutamos contra a Ducati, mas desta vez a Yamaha foi a mais forte, e estou orgulhoso, porque mais uma vez nós estávamos lá em um circuito onde sofremos no passado”, comentou o #93. “Agora vamos tentar terminar a temporada bem e trabalhar muito duro para a próxima, porque, como vimos, parecia que Yamaha não era tão boa antes e agora, de repende desde a Tailândia, eles são realmente fortes”, avaliou.
 
Apesar do ano positivo para a Honda, que, além do Mundial de Pilotos, venceu a disputa de Construtores e tem o campeonato de Equipes bem encaminhado, Márquez pressionou por melhoras.
 
“Sim, vencemos o campeonato, vencemos o Construtores, estamos perto do campeonato de Equipes, a tríplice coroa, temporada perfeita. Mas não é o bastante”, afirmou Marc. “Nós precisamos trabalhar duro este inverno, porque os competidores estão chegando mais e mais perto. Às vezes, são até melhores”, concluiu.