MotoGP

Ducati vê “equipe mais importante que egos” e planeja reunião com Dovizioso e Lorenzo

Andrea Dovizioso e Jorge Lorenzo terão um encontro com os chefes nesta semana. Paolo Ciabatti, diretor esportivo da Ducati, revelou que a equipe pretende sentar com sua dupla de pilotos para tentar contornar o climão que se instaurou depois das declarações feitas na Malásia no último final de semana
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Andrea Dovizioso e Jorge Lorenzo (Foto: Ducati)
A treta entre Andrea Dovizioso e Jorge Lorenzo ganhou mais um capítulo na Malásia, e mais uma vez a Ducati se vê obrigada a interferir. Paolo Ciabatti revelou que pretende sentar com a dupla nesta semana para ter uma pequena conversa.
 
Em Sepang, o espanhol ficou fora da corrida por ainda estar se recuperando da lesão sofrida na Tailândia, e seu companheiro italiano não deixou barato, ironizando a situação e chegando a dizer que “é um pouco estranho.”
 
Claro que o #99 não deixaria a declaração barata, rebatendo e afirmando que o #4 é “um companheiro exemplar”, e deu a cartada final ao lembrar que o italiano é “um campeão. De 125cc”.
Paolo Ciabatti (Foto: Ducati)
Obviamente a Ducati não ficaria de braços cruzados com toda a situação. Ciabatti, então, já tem planos para tentar conter o clima dentro do time. “Está claro que os interesses da Ducati vem antes dos problemas pessoais entre os pilotos”, afirmou em entrevista ao 'Motorsport'.
 
“Na quinta-feira, estaremos todos juntos em Milão e pensamos em sentar meia hora para conversar com Jorge e Andrea. Queremos evitar situações como a da semana passada. Entendo que essas coisas podem acontecer. Às vezes pilotos ficam nervosos durante um final de semana de corrida e em um dia com chuva, situações difíceis, às vezes dizem coisas que não deveriam dizer”, continuou.
 
Lidar com este tipo de situação não é novidade para Ciabatti, que já teve que interferir no barril de pólvora que é Lorenzo e Dovizioso em outras ocasiões. “Há momentos que você deve dizer ‘parem’. Ducati é mais importante que o ego dos pilotos e acredito que eles são espertos o bastante para entender isso”, encerrou.