Motociclismo

Kawakami projeta salto para MotoGP e estreia no Mundial Júnior de Moto3 pela LaGlisse em 2018

Terceiro colocado na temporada 2017 da Talent Cup Europeia, Meikon Kawakami dá um passo à frente neste ano e vai defender a LaGlisse no Mundial Júnior de Moto3. Brasileiro já sonha com Mundial de Motovelocidade em 2019
Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo
 Meikon Kawakami (Foto: Divulgação/FIM CEV Repsol)

A carreira de Meikon Kawakami segue avançando a passos largos no exterior. Depois de brigar pelo título até a etapa final da Talent Cup Europeia, o piloto de 15 anos vai estrear no Mundial Júnior de Moto3 nesta temporada. 
 
Terceiro colocado na Talent Cup no ano passado, Meikon vai seguir defendendo a LaGlisse, mesma equipe com que Maverick Viñales foi campeão no Mundial de Moto3 em 2013. Além disso, assim como fez no ano passado, Kawakami vai continuar competindo na Red Bull Rookies Cup.
Meikon Kawakami vai disputar o Mundial Júnior de Moto3 em 2018 (Foto: Repsol)

Em entrevista ao GRANDE PRÊMIO, Kawakami fez um balanço positivo da temporada 2017, mas reconheceu que teve mais dificuldades na Rookies Cup por conta do perfil do campeonato.
 
“A temporada passada, no todo, digamos que foi boa, principalmente na Talent Cup Europeia”, disse Kawakami. “Já na Rookies Cup, nós tivemos mais complicações”, indicou.
 
“No FIM CEV, você trabalha mais com a equipe, tem chefe de suspensão, chefe de equipe, tem seus próprios mecânicos. Já na Rookies Cup você tem só seu próprio mecânico e sua moto praticamente”, explicou. “O que me ajudou mais na Talent Cup foi a equipe, o trabalho da equipe. Mas foi bom”, frisou.
 
Na categoria monomarca europeia, Meikon teve a chance de aprimorar seu conhecimento e performance.
 
“Onde me ajudou mais foi conhecer várias pistas da Europa. E também poder brigar no grupo da frente. Você aprende bastante coisa ali”, comentou.
 
Questionado pelo GP sobre a expectativa para o Mundial Júnior, Meikon mostrou que quer encarar as coisas passo a passo, mas sabe da importância da categoria. Campeões do certame, Nicolò Bulega e Dennis Foggia, por exemplo, garantiram o passe para o Mundial de Moto3.
 
“A expectativa é grande. Eu quero fazer bem”, respondeu. “Lá tem os pilotos que competiram ou que competem na Rookies Cup, então quero fazer bem. Não sei quais posições, vamos tentar ver primeiro a pré-temporada, a classificação da primeira etapa, saber como está primeiro”, continuou.
 
Por enquanto, Kawakami ainda não decidiu onde vai fixar residência em 2018, então segue morando no Brasil. O próximo compromisso é entre os dias 19 e 21 de fevereiro, quando participa da pré-temporada no circuito de Almería, na Espanha.
 
“Eu ainda estou no Brasil. Nós estamos vendo, talvez morar num centro de alto rendimento em Barcelona ou algum lugar assim lá fora. Estamos vendo. Não tem nada decidido”, contou.
 
Por fim, Kawakami contou ao GP que já pensa em usar a temporada 2018 para avançar para o Mundial no ano seguinte.
 
“Eu espero já entrar no Mundial, na verdade. Quero fazer a Moto3 e aí passo a passo. A Moto2 e depois passar para a MotoGP. Este é o meu sonho”, concluiu.