Motociclismo
30/01/2018 10:05

De olho no desenvolvimento de jovens, Yamaha do Brasil envia dois pilotos para semana de treinos na academia de Rossi

Por meio da R3 Cup, a Yamaha do Brasil ganhou o direito de indicar dois pilotos para a próxima edição do Master Camp, uma semana de treinos na Academia de Pilotos VR46. Os escolhidos foram Ton Kawakami e Bruno Borges
Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo
 MotoRanch (Foto: Yamaha)

O Brasil voltará a ter representantes no Master Camp. Depois de Renzo Ferreira, Ton Kawakami e Bruno Borges terão a chance de participar de uma semana de treinos na Academia de Pilotos VR46 graças a uma indicação da Yamaha do Brasil. O anúncio foi feito na segunda-feira (29), durante a apresentação da temporada 2018 da montadora em um evento em São Paulo.
 
Participantes da R3 Cup, categoria de base da marca dos três diapasões, nas classes Stock e Pro, respectivamente, Ton e Bruno vão participar de treinamentos físicos, de moto e também de kart ao lado dos integrantes da VR46, que hoje conta com Stefano Manzi, Francesco Bagnaia, Luca Marini, Lorenzo Baldassarri, Andrea Migno, Nicolò Bulega, Niccolò Antonelli, Marco Bezzecchi, Dennis Foggia, Celestino Vietti e Franco Morbidelli.
MotoRanch recebe pilotos indicados pela Yamaha para o Master Camp (Foto: Yamaha)

O elenco do Master Camp é normalmente formado por indicações dos braços nacionais da Yamaha, mas é a primeira vez que a montadora brasileira aponta seus pilotos ― a participação de Renzo no ano passado aconteceu por intermédio da divisão europeia.
 
O Master Camp é fruto de uma parceria ― ainda maior ― da montadora dos três diapasões com Rossi. A Yamaha fornece as motos ― on e off-road ― e o #46 promove a semana de treinos.
 
Assim como nas edições anteriores do Master Camp, os participantes vão frequentar a academia do Rancho do multicampeão da MotoGP, além de participarem de treinos no circuito de Misano e na pista de kart de Misanino. O curso é projetado para melhorar as habilidades dos pilotos, o controle da moto e também a escolha da linha de corrida. O treinamento será feito com máquinas de pista — YZF-R3, MiniGP e karts — e off-road — YZ250F.
 
Durante o Master Camp, além dos treinos físicos e de moto, os pilotos recebem palestras técnicas e também de gerenciamento de carreira, e são acompanhados de perto por Alessio Salucci, o Uccio, amigo e braço direito de Rossi. Além disso, os pilotos têm a chance de conhecer Valentino, que costuma reservar algum tempo para acompanhar a atividade.
 
Os treinos também contam com a participação de Marco Belli, tricampeão inglês de flat-track e bicampeão americano e inglês da modalidade, além do preparador físico Carlo Casabianca.
 
Gestor da R3 Cup do Brasil, Alan Douglas vai coordenar treinos prévios para preparar os pilotos para o Master Camp. Em entrevista exclusiva ao GRANDE PRÊMIO, o ex-piloto explicou como serão as atividades, que não terão custo nenhum para os competidores.
 
“A gente está com a ideia de agora, a partir de março ou abril, ter motos tanto de off-road ― para fazer motocross e algo mais perto de dirt-track, como é feito lá fora ― e também supermoto, fora que eles já andam de R3”, disse Alan. “Então, uma vez por semana ― provavelmente será de sábado ―, a gente vai estar com a equipe em algum local e esses pilotos vão treinar sem custo. A gente vai acompanhar levando mecânico, dando toda a abordagem e tal”, explicou.
Ton Kawakami vai participar do Master Camp (Foto: Felipe Tesser)

“O Bruno César é de Brasília, então com a ele a gente vai fazer um acompanhamento mais distante, mas falando: ‘Fez treino do que hoje? Qual a preparação física?’. Acompanhar e, mesmo ele sendo de fora, tentar estar presente no dia-a-dia de treino dele dando algumas dicas, algumas instruções”, explicou. “Como eu não sou muito do motocross, a gente pegou algumas dicas com o Jorge Negretti, então vai ser intensivo daqui não só até o Master Camp deste ano, mas o trabalho vai durar o ano todo, pensando já no ano que vem para a gente ter também pilotos que vão lá e sejam competitivos”, contou. 
 
Ainda, Alan classificou a chance como “oportunidade ímpar que promete mudar a nossa história na motovelocidade brasileira”.
 
“Eu acho que é uma chance única. Além de estar uma semana com o Valentino Rossi dentro do Rancho, treinando com o Morbidelli, com os principais pilotos da MotoGP, eles têm a chance de estar na equipe do Valentino no ano seguinte. Acho que é uma grande conquista”, frisou Alan ao GP. “E, tudo isso, pago pela Yamaha. Não tem custo nenhum para o piloto. Eu acho que é uma oportunidade ímpar que promete mudar a nossa história na motovelocidade brasileira apoiando jovens talentos”, concluiu.