Kart

Massa passa bastão para Collet e MDG Matrix I segue na liderança após sete horas das 500 Milhas. Scuderia GP é 34ª

Felipe Massa deixou o carro após terminar a sexta hora da corrida na liderança e passou a responsabilidade para Caio Collet. O jovem kartista tratou de manter o kart #91 na liderança das 500 Milhas da Granja Viana após sete horas. Na Scuderia GP, uma queda para o 34º posto geral e sétimo entre a categoria Thunder Light após a realização de uma parada de 15 minutos
Warm Up, da Granja Viana / PEDRO HENRIQUE MARUM, da Granja Viana / GABRIEL CURTY, da Granja Viana
 Lucas Di Grassi (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Após sete horas da edição 2017 das 500 Milhas da Granja Viana, neste sábado (16), o kart #91 da MDG Matrix I segue na liderança. O carro foi alçado à liderança no fim da sexta hora, então guiado por Felipe Massa. Uma rodada de ida aos boxes depois, Caio Collet assumiu o volante e manteve a ponta.
 
O #91 sobrou, aliás. Collet fechou esta sétima hora com sete voltas de vantagem impostas para cima do Red Bode #357, que estava nas mãos de Danillo Wanderley. O terceiro posto é do Shell Fittipaldi #000 com Diego Ramos ao volante. 
 
Apesar do Barrichello Hero #71, líder por grande parte da prova até agora, ter findado a primeira meia dúzia de horas na quarta posição é fácil argumentar que eles, sim, são os líderes de direito da prova. Isso porque já realizaram a primeira de duas paradas obrigatórias de 15 minutos - algo que o trio da liderança não fez.
Júlio Campos liderando com o #91 (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
A Scuderia GP teve um stint de boa performance de Miguel Cappuccio dentro da pista, mas de atraso nas posições por conta da realização da primeira das duas paradas obrigatórias de 15 minutos, efetuada com a entrada de Miguel e a saída de Ricardo Talarico.
 
Na pista, Cappuccio virou quase sempre entre 55s e 56s, registrando a melhor volta da equipe do kart #44 em 54s737. A Scuderia GP encerrou a sexta hora em 34º, com 404 voltas completadas e em sexto na categoria Thunder Light.

"Estou muito, muito feliz. Aliviado, temos só um kart, então a responsabilidade é muito grande. A minha mentalidade era não bater, depois de ter batido no treino e prejudicado a equipe. Fui o último a ir para a pista, de pneus vermelhos novos, então eu tinha a responsabilidade de não bater e ainda de rodar rápido. Deu tudo certo, passei pelo menos uns 30 karts, vamos para cima. Vamos buscar o pódio, Grande Prêmio", disse Miguel.

EM BUSCA DO SONHO DA F1

PIETRO FITTIPALDI REVELA QUE NEGOCIOU COM A SAUBER PARA 2018