Kart
16/12/2017 21:32

José Ricardo coloca #319 da Americanet na liderança ao fim da nona hora das 500 Milhas. Scuderia GP é 29ª

A nona das 11 horas de duração das 500 Milhas da Granja Viana chegou ao fim com José Ricardo e a Americanet herdando a liderança deixada pelo #71 da Barrichello Hero, que decidiu realizar a segunda parada longa obrigatória. Já a Scuderia GP viveu bom momento, chegou a andar em 19º, mas fechou a hora também com a parada longa obrigatória
Warm Up, da Granja Viana / PEDRO HENRIQUE MARUM, da Granja Viana / GABRIEL CURTY, da Granja Viana
 Alicio Del Nero (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Mais uma equipe diferente terminou uma volta do relógio na liderança da edição 2017 das 500 Milhas da Granja Viana, neste sábado (16), em Cotia. O #319 da Americanet, pelas mãos de José Ricardo, completou a nona de 11 horas de prova à frente do resto do pelotão.
 
De fato, o rendimento do novo líder foi muito bom nos últimos minutos, mas a ponta só chegou porque o #71 da Barrichello Hero, que ponteava até dez minutos para o fim da hora, partiu para a segunda e última parada obrigatória de 15 minutos.
 
Com os primeiros colocados já apostando nas paradas, grupos que não vinham disputando as posições frontais assumiram o top-3. Com Gustavo Yacamán, o #88 da Claro Locres II fechou em segundo enquanto André Castro e o Spirit Sports #13 foi terceiro.
 
O melhor posicionado na classificação real da corrida é o MDG Matrix I #91, agora guiado por Julio Campos. Já com as duas paradas longas realizadas, a equipe que tem ainda Felipe Massa e Lucas Di Grassi está a apenas oito voltas dos líderes e com a nona colocação.
 
A Scuderia GP, com o segundo stint de Alicio del Nero, andou bem forte e chegou a ocupar a 19ª colocação geral. No fim, com um problema no cabo de aceleração e com o combustível já no fim optou por realizar a segunda e última parada longa. 
Alicio Del Nero (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
"Foi um stint bem puxado. Entramos de pneus vermelhos, que são mais rápidos, mas exigem muito mais fisicamente para nós que somos amadores, não temos o mesmo preparo dos profissionais. Pelo que o pessoal dos boxes me disse, o tempo não estava o que eu queria, mas estava regular, atingi meu objetivo. Fui até quase esvaziar o tanque, tinha combustível para mais umas dez voltas, mas me deu câimbra bem na perna do acelerador, aí decidi, já que estava dentro da estratégia, entrar nos boxes. Espero que o Allyson esteja melhor do que eu", brincou Alicio.

Ao fim da hora, enquanto a parada ainda estava em curso, o #44 ocupava a 29ª colocação geral. E quarta na Thunder Light, então liderada pelo #11 da CPKA, nas mãos de Kléber Barcellos.
EM BUSCA DO SONHO DA F1

PIETRO FITTIPALDI REVELA QUE NEGOCIOU COM A SAUBER PARA 2018