Kart

Di Mauro ressalta evolução e diz que sábado “muito positivo” permite sonhar com título do Mundial

Gaetano di Mauro vai confirmando as boas expectativas no seu debute no Mundial de Kart. Neste sábado (8) em Genk, na Bélgica, o piloto da Academia Shell Racing teve grande performance nas baterias classificatórias. A final acontece no domingo
Warm Up / Redação GP, de Cascavel
 Gaetano di Mauro no Mundial de Kart em Genk, na Bélgica (Foto: Divulgação)
Um sábado notável. Assim pode ser definido o dia de Gaetano di Mauro na disputa do seu primeiro Mundial de Kart em Genk, na Bélgica. O piloto da Academia Shell Racing teve grande performance perante 104 concorrentes e andou sempre entre os melhores nas baterias eliminatórias da categoria KZ2, que são os karts com marcha. Uma performance que faz o paulista de 20 anos sonhar com o título mundial. A definição acontece neste domingo (9).
 
Ao longo do sábado, foram disputadas cinco baterias classificatórias, todas com soma de pontos que vão classificar os 34 melhores para a grande final em Genk. Ainda resta uma bateria a ser disputada, na manhã de domingo, mas Gaetano já figura entre os dez melhores classificados, mais precisamente em oitavo.
 
Piloto de fábrica da marca CRG, uma das referências do kartismo mundial, Di Mauro liderou duas das baterias classificatórias e obteve os seguintes resultados: segundo lugar nas baterias 1 e 2, nono na terceira, quarto na quarta eliminatória e novamente quinto na bateria 5.
Gaetano di Mauro teve outro dia positivo no Mundial de Kart em Genk, na Bélgica (Foto: Divulgação)
Em busca de garantir a classificação e, depois, uma boa posição no grid da finalíssima, o brasileiro vai ter pela frente mais uma eliminatória no domingo. No entanto, um dos sete grupos de kartistas ainda vai ter de cumprir duas baterias antes da decisão, o que pode beneficiar Gaetano por conta do regulamento de pontos perdidos, que vai definir o alinhamento final em Genk.
 
Outro ponto que deixa Di Mauro confiante é a boa performance do seu kart, de numeral #167, com pneus mais desgastados. O piloto também ressaltou o fato de ter poupado um jogo de pneus justamente para a bateria final, que vai ser longa, com duração de 23 voltas.
 
Após um sábado bastante favorável, o piloto aposta em um domingo ainda mais feliz e, quem sabe, no topo do Mundial de Kart. “Estamos trabalhando bem e podemos melhorar ainda mais no domingo. O dia foi muito positivo e nos permite sonhar com o título”, disse.
 
Di Mauro citou a bateria em que teve seu pior resultado final, mas que também foi marcada pelo grande poder de reação. “O kart bem à minha frente não largou na terceira corrida. Foi uma pena porque tive de desviar, caí para 18º e recuperei para nono”, explicou.
 
“A segunda bateria liderei inteira e perdi na última volta. Os demais tinham pneu de uma corrida a menos, enquanto na última estava com pneu velho. Guardei um jogo para a final. Vou de pneu usado na última eliminatória”, complementou o membro da Academia Shell Racing.