Indy

Prefeito do Rio se reúne com organizadores e promete retorno da Indy ao Brasil na temporada 2020

Prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella se reuniu com os organizadores da Indy e se comprometeu a trazer a categoria norte-americana de volta ao Brasil em 2020. A proposta é um circuito que utilize trechos do sambódromo e da Avenida Presidente Vargas
Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo / VICTOR MARTINS, de São Paulo
 Circuito da Indy no Rio de Janeiro utilizaria trechos do sambódromo e da Avenida Presidente Vargas (Foto: Reprodução)
Parece que a Indy ainda não desistiu de voltar ao Brasil. Na quarta-feira (7), representantes da organização do certame se reuniram com Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro, para tratar da inclusão da cidade no calendário de 2020.
 
De acordo com informações divulgas nas redes sociais de Crivella, a ideia é que o traçado utilize trechos do sambódromo carioca e da Avenida Presidente Vargas.
 
Ainda segundo as declarações do prefeito, “a estimativa é que o evento gere cinco mil empregos provisórios”. Além disso, também é esperada uma receita de R$ 150 milhões. 
Circuito da Indy no Rio de Janeiro utilizaria trechos do sambódromo e da Avenida Presidente Vargas (Foto: Reprodução)
Procurado pelo GRANDE PRÊMIO, Carlo Gancia, representante do Image Group, responsável pelos direitos da Indy no Brasil, falou em uma “conversa inicial”, mas citou “boa vontade” com a realização da prova.
 
“Estivemos aqui [no Rio] conversando, é uma conversa inicial, e agora temos um caminho a percorrer”, disse Gancia ao GP. “Há boa vontade, mas sabemos das dificuldades”, completou. O interesse de ter uma corrida aqui, segundo Gancia, é de um grupo americano — cujo nome não foi revelado — e que está buscando empresas brasileiras para formação de parcerias.

De acordo com Gancia, a assinatura do contrato para a realização da prova no Rio “tem de ocorrer até meados de junho” do ano que vem. Ainda segundo o empresário, a montagem do circuito levaria cerca de três semanas, “então a previsão é que seja realizada ou entre o Carnaval e a Páscoa, em abril, ou depois da Indy 500, em junho".

A Indy esteve pela última vez no Brasil em 2013, correndo no circuito de São Paulo, que passou a abrigar a categoria três anos antes. Uma etapa chegou a ser anunciada para Brasília na abertura da temporada 2015, mas foi cancelada por uma decisão unilateral da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal. 
 
Na época da CART, o Rio de Janeiro chegou a receber a categoria, com provas em um circuito oval no hoje extinto Jacarepaguá entre 1996 e 2000.
 
Procurada pelo GRANDE PRÊMIO, a prefeitura do Rio encaminhou uma nota com mais detalhes da proposta para a corrida carioca.
 
“O Rio pode voltar a ser circuito de alta velocidade no automobilismo. A ideia, desenvolvida desde 2016, foi apresentada nesta quarta-feira ao prefeito do Rio, Marcelo Crivella, por representantes da Fórmula Indy para a América Latina. O circuito da Indy Rio 2020 incluiria a Avenida Marquês de Sapucaí e um trecho da Avenida Presidente Vargas. Metade da prova, aliás, aconteceria no Sambódromo (que teria pistas de ida e volta) e poderia ser acompanhada de perto, das arquibancadas, pelo público. O circuito apresentado é inédito em competições da categoria.  Os organizadores estimam a geração de R$ 150 milhões em impostos para a cidade, além de cinco mil empregos temporários”, diz a nota.