Indy

Dixon escapa de tumultos e vence movimentado GP de Toronto. Newgarden bate sozinho e é 9º

O GP de Toronto foi um dos melhores da temporada 2018 da Indy. Scott Dixon fugiu de várias confusões, venceu e abriu mais vantagem na classificação do campeonato, enquanto todos os rivais na disputa pelo título bateram, entre eles Josef Newgarden, que foi ao muro na relargada e chegou em nono. Tony Kanaan foi sexto e Matheus Leist foi 15º
Warm Up / GABRIEL CURTY, de São Paulo
 Scott Dixon (Foto: IndyCar)

Scott Dixon teve um dia simplesmente perfeito em Toronto. Neste domingo (15), o neozelandês escapou de uma série de tumultos, viu Josef Newgarden bater sozinho numa relargada e, numa etapa em que todos os rivais na disputa pelo título se envolveram em confusões, disparou na classificação do campeonato com mais uma vitória.

Simon Pagenaud teve uma de suas melhores corridas na temporada e conseguiu cruzar a linha final na segunda colocação. Logo atrás a dupla canadense da Schmidt Peterson, que teve ótimo desempenho em casa. Robert Wickens foi terceiro e James Hinchcliffe chegou em quarto.

Charlie Kimball teve a melhor performance da história da novata Carlin. Em grande dia, chegou na quinta posição, grudado em Hinchcliffe. Tony Kanaan fez uma bela corrida e conseguiu o sexto posto para a Foyt, também o melhor resultado da equipe em 2018.

Zach Veach fez o segundo top-10 da carreira e terminou em sétimo. Alexander Rossi e Newgarden, em péssimas jornadas, ainda ficaram no grupo dos dez primeiros, com Marco Andretti chegando atrás após um splash & go inacreditável na última volta. Matheus Leist foi 15º em mais uma corrida complicada.
Scott Dixon venceu em Toronto (Foto: IndyCar)
Confira como foi o GP de Toronto

A largada para o GP de Toronto aconteceu às 16h43 (em Brasília). E a primeira volta foi simplesmente fantástica, cheia de disputas lado a lado e grandes manobras. Josef Newgarden fez duas belas manobras para segurar Scott Dixon, enquanto Ryan Hunter-Reay escapou de Alexander Rossi, Will Power e Simon Pagenaud para virar terceiro. 
 
Marco Andretti e Tony Kanaan também se destacaram bastante. O americano foi de 14º para nono e o brasileiro passou de 15º para 11º. Problema ali para a Schmidt Peterson, que tinha seus dois carros - e donos da casa - tocando: James Hinchcliffe e Robert Wickens, mas ambos seguiram na pista.
 
Depois de Sato fazer uma linda manobra por fora para passar um Rossi que tentava superar Power, as coisas foram se acalmando um pouco mais nos giros seguintes.
 
Na volta 10, Newgarden segurava a ponta com 0s6 para Dixon. Hunter-Reay apenas escoltava os dois, recebendo certa pressão de Power e Sato. Rossi, Pagenaud, Wickens, Andretti e Hinch também figuravam no top-10.
 
Ed Jones abriu a janela de paradas na volta 13 e acabou deixando o carro morrer. Aquilo ali mudou bastante as coisas, com o piloto do #10 voltando justamente na frente dos líderes e jogando tudo contra Newgarden para não tomar volta, quase jogando o líder na barreira de pneus.

Muita gente ia parando quando Sébastien Bourdais rodou e ficou atravessado na curva 1, com o carro danificado. Ali era a chave para alguns anteciparem a ida aos boxes, com a amarela parecendo que sairia. Mas não saiu e Bourdais conseguiu se arrastar até os boxes.
 
Apenas Jordan King e Graham Rahal seguiam na pista entre os líderes, com Newgarden, Dixon, Hunter-Reay, Sato, Power, Rossi e Pagenaud atrás.
 
Aí veio uma sequência simplesmente catastrófica para a Andretti na volta 28. Primeiro, Hunter-Reay batia forte na curva 3. Segundos depois, logo atrás dele, Rossi tocava na traseira de Power e perdia boa parte da asa dianteira. Para Will também foi horrível: problema de potência e mais um mecânico, com o volante virado para a direita após a batida.
 
A amarela apareceu e fez os três pilotos com problemas irem aos boxes, além, é claro, de King, Rahal e Spencer Pigot, que estavam em estratégia diferente. O pior cenário era o de Power, que tomava voltas parado com aparentes problemas na suspensão.

A bandeira verde voltou a ser acionada na volta 34 com Newgarden, Dixon, Sato, Pagenaud, Wickens e Hinch nas primeiras colocações. Mas durou muito pouco com dois incidentes inacreditáveis.

Primeiro, Newgarden escorregou do lado sujo e bateu na hora que a relargada acontecia, despencando na classificação. Mas teve coisa pior: Rahal tocou em Max Chilton, acabou recebendo uma batida de Rossi, que foi levantado por Hunter-Reay, que tocou em Bourdais, que fechou a pista e fez Power parar na barreira de pneus. Isso mesmo, um acidente lotado de pilotos e concorrentes ao título. Dixon era o único ileso naquela volta.

A corrida ficou completamente maluca naquele momento e os boxes estavam lotados com a bandeira amarela ainda trabalhando com vários pedaços de carro na pista. O top-10 estava com Dixon, Wickens - que relargou muito bem -, Pagenaud, Sato, Andretti, Hinchcliffe, Kanaan, Charlie Kimball, Conor Daly e Zachary Claman DeMelo, que surgiram do nada. René Binder mesmo era 11º. Leist era 18º e último na mesma volta do líder, com Rossi e Newgarden também no fundo do grid.

A relargada na volta 39 foi bem mais tranquila, mas teve disputa bem acirrada entre Sato e Andretti pelo quarto lugar, com o japonês resistindo muito bem. Logo atrás, Kanaan passava muito bem por Hinch e já aparecia em sexto. Lá para o fundo, Newgarden e Jones se enroscavam.
 
Enquanto Andretti finalmente conseguia passar por Sato, Binder aprontava das suas, como sempre. O austríaco rodou e deixou o carro morrer, se enrolando até com os fiscais que tentavam ajudar a voltar para a pista.

A relargada teve Andretti de novo saindo bem e colando em Pagenaud atrás do terceiro lugar, enquanto Kanaan também repetia a boa saída e grudava em cima de Sato. Zach Veach pulava bem para nono, mas Claman DeMelo perdia muito rendimento e ficava para trás. Pigot era outro que se destacava, passando King.

Dixon atingia a volta 50 com extrema tranquilidade na liderança da corrida, botando 3s em Wickens. Pagenaud e Andretti ainda pareciam brigar pelo segundo lugar, enquanto Sato, Kanaan e Hinch vinham próximos. Preso em King, Newgarden não conseguia reagir em 13º.
Charlie Kimball fez uma grande corrida (Foto: IndyCar)
Dois giros depois, Sato abriu a rodada de paradas entre os líderes, com Hinch o seguindo. Wickens parou na volta 54, já com cara de que ia até o final e pressionando Dixon a respeito da estratégia. Rossi e Newgarden, longe da briga, paravam também, com o piloto da Andretti ganhando a posição.
 
Dixon respondeu rapidamente e parou, bem como todos os demais ponteiros. E aí a mudança: Pagenaud voltou na frente de Wickens e segurou muito bem o canadense que vinha com pneus mais quentes. E Dixon sumia na dianteira, 6s3 distante de Pagenaud. Wickens, Andretti, Sato, Leist - sem parar -, Hinch, Kimball, Kanaan e Pigot fechavam o top-10.
 
Matheus se arrastava na pista para tentar fazer a estratégia ainda ter salvação e rapidamente caía para trás de Pigot. A parada derradeira veio na volta 64, voltando em 17º.
 
Sato dava adeus à grande corrida tocando sozinho no muro e quebrando o carro. Isso não chegava a ser surpreendente, diferentemente de Dixon, que por muito pouco não cometeu o mesmo erro e chegou até a relar na parede, aparentemente sem problemas.
 
Hunter-Reay, retardatário, segurou muito Dixon, causando uma aproximação de Pagenaud. Quando o americano parou, o neozelandês começou a respirar um pouco mais.

Na volta 77, Pigot cometeu o mesmo erro de Newgarden, escorregou e bateu na última curva da pista, perdendo o que era um top-10 certo. Rossi e Newgarden voltavam ao top-10 ali.

Aí, quando tudo parecia já definido, na abertura da última volta, Andretti foi aos boxes sem combustível, vendo o quarto lugar escorrer pelos dedos. O americano voltou atrás até de Newgarden, em décimo. Dixon venceu e Pagenaud, mesmo recebendo um calor final de Wickens, foi segundo.

Indy, GP de Toronto, final:

1 DIXON Ganassi Honda 1:37:00.310 85 voltas
2 PAGENAUD Penske Chevrolet +5.270  
3 WICKENS SPM Honda +6.775  
4 HINCHCLIFFE SPM Honda +18.336  
5 KIMBALL Carlin Chevrolet +18.844  
6 KANAAN Foyt Chevrolet +30.435  
7 VEACH Andretti Honda +32.273  
8 ROSSI Andretti Honda +34.526  
9 NEWGARDEN Penske Chevrolet +35.576  
10 ANDRETTI Andretti Honda +38.909  
11 KING Carpenter Chevrolet +39.333  
12 JONES Ganassi Honda +42.367  
13 DALY Harding Chevrolet +46.579  
14 CLAMAN DEMELO Dale Coyne Honda +54.497  
15 LEIST Foyt Chevrolet +59.075  
16 HUNTER-REAY Andretti Honda +1 volta  
17 BINDER Juncos Chevrolet +2 voltas  
18 POWER Penske Chevrolet +2 voltas  
19 BOURDAIS Dale Coyne Honda +2 voltas  
20 PIGOT Carpenter Chevrolet +9 voltas NC
21 RAHAL RLL Honda +17 voltas  
22 SATO RLL Honda +19 voltas NC
23 CHILTON Carlin Chevrolet +51 voltas NC