Indy

Dixon e Newgarden defendem aumento de distância de “corrida simples” em Long Beach: “Uma necessidade”

Últimos dois campeões da Indy, Scott Dixon e Josef Newgarden acreditam que a distância da corrida em Long Beach precisa ser aumentada. Equipes e pilotos utilizaram estratégias de pit-stop bem parecidas, o que acabou tirando bastante a imprevisibilidade da corrida e o lado estratégico como fator

Grande Prêmio / Redação GP, de Campinas
O GP de Long Beach da Indy, realizado no domingo (14), não encheu os olhos dos fãs. A falta de disputas na pista e a previsibilidade da etapa viraram rotina no circuito californiano, e o atual campeão Scott Dixon apresenta uma solução bem simples para a melhora: o aumento na distância da corrida.

Segundo Dixon, que fechou a corrida de 2019 na terceira colocação, a distância de 85 voltas precisa ser esticada, já que as estratégias de pneus e combustível são praticamente as mesmas para todos os pilotos, o que acaba causando corridas monótonas como a deste ano.

"É quase como se a corrida mais longa fosse uma necessidade. Acho que a Indy até tentou já esticar a corrida, mas foram meio que barrados. É uma corrida de duas paradas para todo mundo, então fica muito branda. Os dois tipos de pneus são bons, você vê mais degradação nos vermelhos se estiverem usados. Ao final de tudo, se você precisar, eles fazem 30 voltas facilmente", citou.
Scott Dixon (Foto: Indycar)
Líder do campeonato e segundo em Long Beach, Josef Newgarden segue o pensamento do rival. Para o americano, o desgaste dos pneus é muito baixo e impede estratégias diferentes e ousadas, possibilitando a discussão mais forte sobre o aumento da distância da corrida.
 
"Honestamente, é uma corrida muito simples. Talvez precise de um pequeno ajuste. Os pneus são muito 'amigáveis' aqui, é uma corrida simples de duas paradas. Juntando tudo, você não consegue ação do jeito que consegue em outras pistas", disse Newgarden. "Sim, acho que talvez precise pensar em algo. Não acho que tem muito a ser mudado nas estratégias, acho que é por isso que a corrida produziu pouco", finalizou.
 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.