FE

No caminho da Indy, FE faz teste e planeja aproximar pelotão quando bandeira amarela for acionada

A Fórmula E quer animar suas corridas a partir do momento em que precisar pará-las por algum motivo. Em Valência, durante a pré-temporada, a categoria testou o modelo da Indy de aproximar o pelotão quando bandeiras amarelas de pista inteira forem acionados
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Lucas Di Grassi e Daniel Abt (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
A Fórmula E considera e se prepara para entrar no caminho da Indy de aproximar o pelotão a partir do momento que uma bandeira amarela for acionada durante as corridas. O sistema foi inclusive testado durante a corrida piloto realizada na semana passada, em Valência.
 
A intenção da FE é simples: aumentar o nível de disputa nas corridas. Assim como na Indy, uma bandeira amarela para toda a pista faria o grid se aproxima, em vez de manter a mesma velocidade de até 50 km/h e distâncias, como é atualmente e na F1, por exemplo. 
 
De acordo com o site inglês 'E-Racing365.com', o diretor de prova da FE, Scot Elkins, terá a primazia de definir quando utilizar a bandeira amarela de pista inteira e subsequente aproximação do pelotão de acordo com as próprias opiniões durante as corridas. O artigo 39.1 do Regulamento Esportivo da Fórmula E foi alterado para incorporar essa alternativa.
Lucas Di Grassi (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
"Vai melhorar as corridas, com certeza. Quando você aproxima o pelotão, há sempre outra chance de ultrapassar, melhorar seu resultado e tirar o máximo da sua corrida", disse o piloto Gary Paffett, que estreia na categoria pela também novata HWA.
 
"Claro que se você for o carro na liderança e já usou mais energia para estar nessa posição, de repente a liderança vai embora e não sobrou energia para brigar, aí vira frustrante. Mas vai mudar um pouco a forma como pensamos sobre a bandeira amarela de pista inteira", encerrou.
 
A temporada está marcada para o dia 15 de dezembro.