FE

Nissan confirma busca por substituto para Albon e relata corrida por vaga: “15 ou 20 pilotos ligaram”

Jean-Paul Driot, chefe da Nissan e.dams, admitiu que há uma procura por alguém que possa assumir a vaga de Alexander Albon, cotado por vaga na Toro Rosso para o Mundial de F1 em 2019. De acordo com o francês, cerca de duas dezenas de pilotos entraram em contato na última semana
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Sébastien Buemi (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio
Após tudo certo com a dupla de pilotos para a temporada 2018/19 da Fórmula E, agora a Nissan se vê com uma importante questão nas mãos: como se preparar para a possível saída de Alexander Albon. O piloto tailandês quase não testou na pré-temporada de Valência e conversa com a Toro Rosso sobre a oportunidade de uma vaga na F1. Enquanto isso, uma chuva de pilotos procura a equipe franco-japonesa da FE.
 
De acordo com o chefe Jean-Paul Driot, cerca de duas dezenas de nomes entraram em contato com ele sobre a possibilidade de aproveitar a vaga que Albon parece destinado a abandonar. O outro piloto titular da equipe é Sébastien Buemi, campeão da temporada 2015/16.
 
"Estamos, sim [procurando um substituto para Albon]. Muitos pilotos ligaram nesses últimos dias, é inacreditável. Ligaram, mandaram e-mails - se eu der os nomes as pessoas vão ficar muito impressionadas. É incrível. Pelo menos 15 ou 20 entraram em contato", disse.
Alexander Albon (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Quem acabou ocupando a vaga de Albon e testando o carro ao lado de Buemi em Valência foi Oliver Rowland, um velho conhecido da DAMS [equipe de comanda a operação da Nissan, como fazia com a Renault]. Rowland chegou para o terceiro e último dia de testes, deu 85 voltas divididas entre o chuvoso turno da manhã e o seco turno da tarde. A maior simulação de corrida da Nissan da semana foi a de Rowland, inclusive, com 21 voltas seguidas.
 
"Oliver está sob consideração porque pensamos num terceiro piloto de qualquer forma e porque conhecemos bem suas habilidades desde a época que ele andou conosco na F2. Foi no mesmo ano que Leclerc [2017], e ele foi bem, ganhou três corridas e marcou poles. Também conhecemos bem dos tempos de World Series [da qual foi campeão em 2015 pela Fortec, superando os pilotos da DAMS]", seguiu Driot.
 
Apesar de deixar claro que tem interesse na vaga, Rowland não mostrou grande otimismo. 
 
"Obviamente eu fui testar como substituto para eles novamente, um pouco como fiz com Nicholas no começo do ano [para a DAMS na pré-temporada da F2]. Vamos ver, claro que eu gostaria de correr na FE. Temos que ver o que eles vão fazer", afirmou. 
Oliver Rowland substitui Alexander Albon e testa pela Nissan em Valência (Foto: Reprodução/Twitter)
Rowland preferiu falar sobre os testes.
 
"Estou focado em coisas relacionadas à guiar. O teste foi bom, eu cumpri o programa desenhado pelo pessoal da Nissan. Foi bom poder andar um pouco no molhado também, o carro pareceu bem competitivo. Não fiz testes de desempenho no seco, mas correu tudo bem. 
 
"É difícil falar [sobre qual o lugar da Nissan na ordem de forças]. Não me envolvi com os testes particulares, mas o ritmo parece bem bom. Também não sei se é o melhor em comparações ou algo assim. O importante foi entender o máximo possível do carro e passar para a equipe as informações e tudo mais que eles precisam", avaliou.
 
A temporada começa em 15 de dezembro.