FE

Massa evita comparação de “mundos diferentes” e fala de crescimento da FE: “Talvez alcance o nível da F1”

Felipe Massa está muito satisfeito com a decisão de competir na Fórmula E. O brasileiro comentou o grande crescimento que a categoria elétrica tem apresentado, frisando também a competitividade e mentalidade diferente da F1
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Felipe Massa em Valência (Foto: Shivraj Gohil/Venturi)
Felipe Massa tem se mostrado cada vez mais satisfeito com o rumo que escolheu para sua carreira. Próximo de fazer a estreia oficial na Fórmula E, o piloto encheu a categoria de elogios, evitando fazer comparações com a F1.
 
 A temporada 2017 marcou a última do piloto na F1. Em 2018, tirou um período quase que sabático, onde ficou grande parte do tempo fora das pistas, participando apenas de corridas esporádicas – na Stock Car, por exemplo,  disputou a Corrida de Duplas e a do Milhão.
 
Agora, está cada vez mais próximo de fazer sua estreia na FE. Ao falar sobre a motivação de ter escolhido a categoria, ressaltou o grande crescimento e competitividade. “Sentia falta da competição, é o que tenho feito durante toda a minha carreira, competir. Primeiro no kart, depois nos monopostos, 16 anos na F1. Quando saí já estava pensando em alguma categoria para seguir correndo”, disse em entrevista ao site espanhol ‘As’.
 
“Dei algumas voltas e decidi que a FE era o campeonato perfeito para mim por seu nível de competitividade, mas também por tudo o que tem ao redor, fora da pista, há muitos fabricantes que entram e tem um compromisso com a sustentabilidade. É um campeonato que está crescendo mais do que o resto, incluindo a F1, e é onde quero estar hoje. Não apenas para correr um ano, sim para seguir adiante e trabalhar com tudo o que rodeia a categoria”, continuou.
Felipe Massa no segundo dia de testes em Valência (Foto: Lou Johnson/Venturi)
“Meu objetivo é sempre ganhar e é o que vou tentar. Aproveita quando se é competitivo. A Venturi nunca venceu, mas querem crescer e serem melhores, podemos dar um passo adiante. Há grandes equipes, grandes pilotos, vamos ver na primeira corrida onde estamos”, completou.
 
É inevitável que se tente comparar a F1 e a FE, mas Massa logo tratou de minimizar qualquer comparação, pois “não se pode comparar com os carros que pilotei antes, é um mundo completamente diferente em relação a potência, eficiência, aerodinâmica, quando se pensa na F1”, pontuou.
 
“Não é um campeonato que se deve comparar com a F1, são mundos diferentes, tem que aprender do zero um estilo de pilotagem nos circuitos, eu não conheço nenhum. Como pilotar na classificação, na corrida, não é nada fácil e tenho muito para aprender. É um desafio novo, mas gosto dos desafios e acredito que poderei ser feliz aqui, competitivo, e me divertir”, explicou.
 
Felipe ainda afirmou que acredita que este é apenas o começo da Fórmula E, que ainda tem muito espaço para crescer no mundo do automobilismo. “As coisas estão mudando muito. Vejo que a Fórmula E vai crescer muito, talvez alcance o nível da F1. A F1 tem que mudar sua mentalidade para seguir melhorando, pois senão vai decair, enquanto a FE vai subir.”
 
“A FE se aproxima dos fãs com ideias como o ‘fan boost’. Os circuitos estão nas cidades. Na pista, o diretor de prova fala com o piloto. Há muitas coisas interessantes para os fãs. Talvez a F1 deva seguir um pouco esta direção e ajudar que as pessoas entendam melhor o que acontece em uma corrida, pois agora é difícil entender algumas coisas no aspecto técnico”, encerrou.
 
A temporada 2018/19 da Fórmula E tem início no dia 15 de dezembro, em Ad Diriyah, na Arábia Saudita.