FE

Com chance de assumir liderança da FE, Di Grassi elogia “traço marcante” da Audi: cresce na adversidade

Apenas dois pontos atrás do líder do campeonato, Lucas Di Grassi chega a Sanya com a possibilidade de assumir a ponta após a Audi esquentar nas últimas corridas. A capacidade de triunfar na dificuldade, o piloto destaca, caracteriza a equipe da montadora alemã

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
Lucas Di Grassi vai para a sexta etapa do campeonato 2018/19 da Fórmula E com condições reais de assumir a liderança. Após um começo complicado, vitória e segunda colocação nas últimas duas provas colocaram o piloto da Audi a dois pontos do líder Sam Bird. A tentativa de tomar controle do campeonato acontece numa pista ainda misteriosa.
 
No meio disso, o que Lucas destaca, visto que começou o ano com oito pontos nas primeiras três provas da temporada, é que a Audi cresce nos momentos de maior dificuldade. 
 
“Nosso time tem uma característica marcante: a equipe cresce muito justamente na adversidade, quando as coisas estão difíceis, e este ano está sendo especialmente complicado não apenas pelos problemas iniciais que tivemos mas também por que a competição está mais acirrada do que nunca. E nós adoramos isso”, afirmou.
 
“Estamos confiantes, mas também estamos cautelosos. Na FE qualquer coisa é possível, todo mundo é um potencial vencedor. Então a primeira coisa que é preciso ter é muito respeito pela concorrência. Temos muitos pilotos, equipes e engenheiros de qualidade. Teremos uma grande briga neste sábado”, definiu.
Lucas Di Grassi (Foto: Audi)
O fim de semana guarda a primeira edição do eP de Sanya, cidade praiana na China.
 
“Ninguém conhece essa pista, então é um complicador extra para todos nós. Todos os pilotos passaram um bom tempo no simulador desde a corrida anterior, tentando assimilar o traçado. E agora é juntar a memória do ambiente virtual que construímos no computador com a pista real. Sempre ajuda, mas nada como uma volta de verdade para você saber realmente como é acelerar e frear em cada curva”, encerrou.
 
Além de Bird com 54 pontos e Di Grassi com 52, Jérôme D'Ambrosio tem 53 e Edoardo Mortara anotou a mesma pontuação do brasileiro.