FE

Buemi vê software em novos carros da FE com importância semelhante à aerodinâmica na F1

Sébastien Buemi é um dos quatro pilotos com um título da Fórmula E para chamar de seu. Entendido da categoria, o suíço confirmou que o software dos carros tem um papel central no desenvolvimento das equipes durante a temporada. É um funcionamento como o das atualizações aerodinâmicas na F1
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Sébastien Buemi (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Com novos carros que são bem diferentes de quaisquer outros monopostos mundo afora, a Fórmula E parte para sua quinta temporada ainda aprendendo ao certo como agir e preparar as máquinas Gen2. De acordo com o campeão Sébastien Buemi, uma grande questão que se apresenta é a dos softwares, que têm tudo para decidir destinos na categoria.
 
Questionado sobre se a introdução de softwares na FE agora são equivalentes à aerodinâmica da F1, Buemi confirmou. Segundo ele, a capacidade de mudanças torna a comparação possível.
 
"Exato, sim, é absolutamente isso", assentiu ao site norte-americano 'Motorsport.com'. "A gente sabe que o hardware é mais ou menos congelado antes da temporada, então não dá para mexer, mas tem tanta coisa que dá para fazer com o software. isso ajuda com o gerenciamento de energia ou numa volta de classificação... Tem muita coisa que podemos tentar para fazer o carro ser mais rápido", afirmou.
 
"Em algum momento, claro, segue sendo uma questão de setup e situações mecânicas no carro, mas os sistemas e o software são quase que a maior ferramenta de desempenho que temos hoje. Então trabalhamos muito nisso e continuamos melhorando o carro enquanto adicionamos novos sistemas durante o curso da temporada. Dá para comparar, sim [com a aerodinâmica], claramente", garantiu.
 
Como o suíço falou, o hardware dos carros não pode ser modificado a todo momento. Mudanças são possíveis apenas "com o propósito de aumentar a confiabilidade ou segurança, aprovada pela FIA e/ou após consulta a todos os construtores".
Sébastien Buemi (Foto: Nissan Nismo)
Outra coisa que Buemi explicou foi a importância de cada mudança no software ser muito bem estudada para que erros estranhos não apareçam.
 
"É importante parar a avaliar se o que você tem está funcionando bem e não dá para ficar trazendo atualizações o tempo todo. É muito fácil cometer um erro pequeno no mundos dos softwares ou no mundo da codificação, e aí o carro para na pista", encerrou.
 
A temporada começa em 15 de dezembro.