F1
13/09/2018 11:15

Sob pressão, Vettel chega a Singapura disposto a encerrar série de erros: “Sou meu pior inimigo”

Sebastian Vettel chega a Singapura com 30 pontos de desvantagem em relação a Lewis Hamilton. Mas o alemão não vê o rival britânico como seu maior adversário na temporada e entende que precisa conter os erros para trilhar o caminho rumo ao penta
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Sebastian Vettel (Foto: AFP)
Se antes faltava à Ferrari dar um carro com verdadeiro potencial para Sebastian Vettel lutar pelo título, agora não falta mais. Ao longo de 2018, a escuderia de Maranello conseguiu desenvolver muito melhor seu conjunto carro e motor e superou a Mercedes. Contudo, a melhor performance da equipe italiana ainda não se traduz nos pontos, muito por conta de erros sucessivos do tetracampeão ao longo da temporada.
 
Na Alemanha, por exemplo, Vettel tinha uma vitória certa, mas sucumbiu a um erro enquanto a pista começou a molhar em Hockenheim. Há duas semanas, em Monza, outro erro, ocorrido durante duelo com Lewis Hamilton na primeira volta do GP da Itália. Nas duas corridas, o britânico tirou o melhor proveito possível e venceu.
 
Vettel chega a Singapura, inegavelmente, sob pressão. 30 pontos atrás de Hamilton, Seb entende que não vê o piloto da Mercedes como seu maior rival.
Sebastian Vettel chegou a Singapura pressionado, mas confiante em dar a volta por cima (Foto: AFP)
“Acho que para mim está bastante claro. Acho que sou meu pior inimigo. Temos um carro fantástico, tenho algo para disputar e temos todas as possibilidades e fazermos à nossa maneira”, declarou o alemão em entrevista coletiva nesta quinta-feira (13) em Marina Bay, palco do GP deste fim de semana.
 
A falha mais emblemática de Seb foi justamente em casa, quando tinha vantagem confortável na liderança até que perdeu o controle da sua Ferrari na pista úmida à altura do trecho do estádio. Um revés que o alemão garante, não dói, mas contribui muito para a vantagem confortável que Hamilton ostenta no campeonato.
 
“O pior foi na Alemanha. O mais importante é que sei o que aconteceu e pude explicar. Todo mundo pode ter sua opinião. Adoraria ter vencido na Alemanha, mas não me chateia. Procuro focar no que está por vir e não no que poderíamos ter feito de forma diferente”, salientou.
 
Por saber que conta com o melhor carro no momento, Vettel entende que, mais do que nunca, é preciso parar de errar para pavimentar de vez o caminho rumo ao penta.
 
“Ele [Hamilton] é o líder neste momento. Está à frente e é o cara que nós temos de superar, mas acho que temos todas as possibilidades. Sobre como poderíamos estar agora, é uma pergunta diferente. Ainda temos uma oportunidade muito boa”, salientou.
 
“Como disse, nós somos nosso pior inimigo, não ele, nem eles como equipe. Temos de cuidar de nós mesmos. Se fizermos bem feito, temos a chance de ir bem e vencer corridas. As coisas parecem bem”, finalizou o atual vice-líder do campeonato.