F1
11/10/2018 05:48

Ricciardo culpa acerto do carro por déficit em volta rápida para Verstappen: “Não é questão de colhões”

Daniel Ricciardo reconhece a boa fase de Max Verstappen, mas discorda que a desvantagem em classificações seja questão de talento. O australiano, que só largou na frente do holandês duas vezes em 2018, revela problemas com o acerto do carro
Warm Up / Redação GP, de Berlim
 Daniel Ricciardo (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Daniel Ricciardo vive um 2018 difícil em termos de treinos classificatórios. Contra Max Verstappen, o australiano só levou a melhor sobre o holandês no grid de largada em duas oportunidades, isso após 16 GPs. Ricciardo reconhece a força do companheiro, mas faz um adendo: a grande causa na diferença de rendimento entre os dois não é necessariamente questão de talento ou coragem.
 
“Eu já não estava feliz com minhas classificações ao longo do ano passado”, recordou Ricciardo. “Achei que no começo desse a gente estava começando a melhorar algumas coisas, mas eu ainda não consegui realmente extrair tudo, ou talvez o Max [Verstappen] esteja melhorando muito, não sei. Sinceramente, e não quero diminuir o Max, até porque ele claramente é rápido e está pilotando bem, não é necessariamente questão de ter mais colhões em uma curva ou algo assim”, continuou.
Max Verstappen e Daniel Ricciardo tem resultados diferentes em classificações (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
“Em algumas classificações eu termino pensando ‘seria melhor ter feito isso’, no sentido de ‘seria melhor ter usado seis cliques de asa dianteira, e não um ou dois’”, apontou, citando as configurações de níveis de downforce do carro. “Olhando para trás, foi esse tipo de coisa. Eu gostaria de ser mais proativo em algumas questões de acerto. Sinto que muitas vezes só entendemos quando é tarde demais. Acho que ainda estamos aprendendo, mas ele [Verstappen] claramente está entendendo isso melhor do que eu”, encerrou.
 
Ricciardo não tem muito tempo restante para encontrar um jeito de superar Verstappen em treinos classificatórios. O australiano está de partida da Red Bull ao fim de 2018, consequência da decisão de assinar com a Renault para 2019. Max passa a ter Pierre Gasly, hoje na Toro Rosso, como companheiro de equipe.