F1

Por punição a Grosjean, Haas vê decisões inconsistentes dos comissários da F1: “Situação não está melhorando”

Guenther Steiner acredita que Romain Grosjean foi punido de forma exagerada no Brasil. O piloto da Haas se chocou com Esteban Ocon ainda na primeira volta e teve o acréscimo de 10s ao tempo total de prova, além do dois pontos na carteira
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Romain Grosjean (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Os comissários da F1 voltaram a ficar no centro do debate ao fim do GP do Brasil deste domingo (12). Por conta de punições aplicadas a Romain Grosjean, que teve a adição de 10s ao tempo de prova e ainda ganhou dois pontos na carteira por bater com Esteban Ocon na largada, a chefia da Haas acredita que a categoria voltou a ser inconsistente na hora de julgar incidentes.
 
“Eu também fico surpreso com o veredito”, disse Guenther Steiner, chefe da Haas. “Isso não influencia nosso resultado aqui, a gente já estava acabado naquela hora. A gente passou a encarar a corrida como um teste, nada mais, mas ele [Grosjean] levou dois pontos na carteira por um acidente de corrida, na minha opinião”, seguiu. Grosjean cruzou a linha de chegada em 15º lugar.
 
A inconsistência fica clara aos olhos de Steiner na comparação com decisões do GP do México. O dirigente recorda um incidente de Lance Stroll durante o treino classificatório. 
Romain Grosjean foi punido duplamente pelo choque com Esteban Ocon (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

“Stroll recebeu um [ponto na carteira] quando a diferença de velocidade era 140 km/h, era bem perigoso”, seguiu, fazendo referência ao momento em que Stroll atrapalhou volta rápida de Grosjean. “Tenho dificuldades para ver a consistência aqui, ainda tenho dificuldades. A situação não está melhorando. Quanto mais menciono isso, mais parece que piora”, lamentou.
 
Enquanto isso, Kevin Magnussen não foi punido pelo acidente com Stoffel Vandoorne e Daniel Ricciardo na largada. Decisão correta aos olhos de Steiner.
 
“Foi um acidente de corrida. Era a primeira curva, o que ele deveria fazer? Deixar todo mundo passar? Foi muito parecido com Vettel e Verstappen em Singapura, quando o Vettel não viu que o Räikkönen estava do lado esquerdo. Aconteceu. Para mim é simples assim”, encerrou.

GERAÇÃO PRIVILEGIADA

F1 TEM ÓTIMA CLASSE EM 2017. E É BOM DEMAIS VÊ-LA EM AÇÃO