F1
11/10/2018 12:07

Mercedes vê espaço para nova ordem de forças na F1 por mudanças aerodinâmicas em 2019

Toto Wolff, o diretor-executivo da Mercedes, avaliou que a ampla mudança nas regras aerodinâmicas da F1 para a temporada 2019 abre oportunidade para que outras equipes apareçam entre as primeiras colocadas. Com o fim de alguns padrões, qualquer equipe está a uma brecha no regulamento de mudar a ordem de forças
Warm Up / Redação GP, RIO DE JANEIRO
 Toto Wolff (Foto: Mercedes)
A F1 vai passar por uma mudança nas regras aerodinâmicas para a temporada 2019. Com isso em conta, o diretor-executivo da Mercedes acredita na possibilidade de o campeonato observar o crescimento de outros times na disputa por vitórias. 
 
Toto Wolff considerou o fato do padrão que a Mercedes - que caminha para o quinto título seguido de Construtores - tem seguido nos últimos anos não vai existir mais. Desta forma, qualquer fábrica que encontrar uma forma de levar vantagem no regulamento vindouro pode saltar na liderança.
 
A partir do ano que vem, os carros vão contar com asas dianteiras de 200 mm de espessura e 25 mm de profundidade, um projeto mais simples que o atual e que tem como objetivo a maior facilidade para ultrapassar. Uns dutos de frenagem também vão ser simplificados. As mudanças foram confirmadas no último mês de julho.
 
"Creio que o maior impacto será do completamente novo regulamento aerodinâmico. Isso vai mudar tudo. Alguém pode encontrar uma brecha nas regras ou uma inovação ou compreensão de como esses carros funcionam antes dos rivais", afirmou.
Robert Kubica (Foto: Williams)
"Há uma grande variável nessas regras para o ano que vem, talvez dê até para outros times, que não estão no radar, aparecerem entre os primeiros", seguiu.
 
Questionado sobre a possibilidade de a Red Bull sair na frente por utilizar o motor Honda, assentiu a preocupação. Afinal, sem muitos dos vícios atuais, a Honda começa do zero.
 
"Sim, pode ser, porque não há mais um padrão. Não há mais um time que domina um tipo específico de circuito. Mudou, e o motor da Honda certamente parece poderoso agora. Além disso, a Red Bull tem um grupo poderoso de pilotos", encerrou.
 
Antes que 2019 chegue, a temporada segue com etapas no México, Estados Unidos, Brasil e Abu Dhabi.