F1

Leclerc segue domínio da Ferrari e lidera segundo dia de testes em Barcelona. Fittipaldi estreia de surpresa

A Ferrari manteve o domínio completo do início dos testes coletivos e, novamente com o tempo da manhã, viu Charles Leclerc liderar a tabela de tempos com 1min18s247. Pietro Fittipaldi recebeu uma chance de surpresa com um problema no banco de Kevin Magnussen e fez sua estreia

Grande Prêmio, de Barcelona / VITOR FAZIO, de Barcelona / FERNANDO SILVA, de Sumaré / GABRIEL CURTY, de São Paulo
Charles Leclerc manteve a Ferrari mandando completamente nas ações no início da pré-temporada da F1 em Barcelona. Nesta terça-feira (19), repetindo o que havia acontecido no primeiro dia, os italianos não foram ameaçados no topo da tabela de tempos e registraram, pela manhã, a melhor marca. O monegasco fez 1min18s247, quase 0s1 acima do que virou Sebastian Vettel na segunda-feira.

A marca de Leclerc foi feita com os pneus C3, os macios. Além disso, a Ferrari voltou a ter uma performance de maratonista na quilometragem, com 157 voltas completadas. Com os pneus C4, mais macios que os de Leclerc, Lando Norris apareceu nos minutos finais para colocar a McLaren em segundo com 1min18s553 e até fez o melhor primeiro setor do dia.

A Haas teve uma mudança inesperada em sua programação. Kevin Magnussen, que estava previsto para fazer o programa completo do dia, teve um problema no banco e, na hora final, deu lugar ao estreante Pietro Fittipaldi. O dinamarquês, mesmo assim, ficou em terceiro com 1min19s206. O brasileiro, com pouco tempo de pista, fechou a lista de tempos, com 1min21s849.

Se a Ferrari foi maratonista, a Toro Rosso seguiu um caminho muito parecido com Alexander Albon. Com 132 giros na conta, o tailandês ainda ficou com o quarto melhor tempo, 1s1 acima da marca registrada por Leclerc.

A Mercedes conseguiu superar por pouco o número de voltas da Ferrari na terça-feira e fez 163 no combinado de Valtteri Bottas e Lewis Hamilton. Ainda com desempenho bem morno, os prateados viram o finlandês em sexto e o inglês em décimo, separados por 0s4.

Antonio Giovinazzi foi quinto em mais um dia que pareceu bem positivo para a Sauber. Com 123 voltas somadas entre sua dupla - e mesmo com Daniel Ricciardo tendo problema na asa móvel -, a Renault viu Nico Hülkenberg ser oitavo. A sétima colocação foi de Pierre Gasly, que teve um dia complicado com a Red Bull e ainda bateu na reta final das atividades. Discretíssimo, Lance Stroll foi 11º de Racing Point.
Charles Leclerc liderou o segundo dia (Foto: AFP)
Saiba como foi a tarde do segundo dia de testes da F1

A tarde começou em ritmo de sesta em Barcelona. Depois da pausa do almoço, só Charles Leclerc e Valtteri Bottas levaram Ferrari e Mercedes para fora da garagem. O objetivo claramente não era tentar voltas rápidas, e sim ganhar quilometragem. Os dois pilotos estavam bem distantes dos tempos na casa de 1min18s. No caso de Charles, era uma nova abordagem após pisar fundo na manhã. No caso de Valtteri, era seguir fazendo o que Lewis Hamilton já havia buscado durante a manhã. Valtteri conseguia manter a Mercedes com número superior de voltas na comparação com a Ferrari, apesar da vantagem quase mínima.
 
Outros pilotos apareciam na pista, mas apenas para aparições breves. Pierre Gasly era mais um dos que aparecia na pista, mas novamente com tanque cheio e sem tentar se destacar na tabela de tempos. Kevin Magnussen e Nico Hülkenberg também somavam voltas com Haas e Renault.

Os movimentos, digamos, iniciais da sessão da tarde de testes ainda eram bem lentos. Bottas já encostava em Hamilton, em cenário muito parecido com o do primeiro dia, com ambos ainda bem distantes da Ferrari e dos primeiros lugares. 



O embate que se desenhava mais interessante no começo da tarde era pra ver quem ficaria com maior quilometragem. A Ferrari de Leclerc rompia as 100 voltas praticamente ao mesmo tempo que Bottas concluía seu 26º giro, ou seja, somando o 100º da Mercedes com os 74 da manhã que alcançou Hamilton.

Enquanto prevaleciam os stints mais longos com o tanque cheio e as seguidas voltas de instalação que para nada tinham efeito, Magnussen resolveu aparecer para mexer com a tabela de tempos. O dinamarquês deu uma ligeira melhorada na marca, pulando para 1min19s206 ainda com os pneus amarelos e se firmando em segundo, atrás apenas de Leclerc.
Kevin Magnussen andou bem enquanto conseguiu (Foto: Haas)
Enquanto Ferrari e Mercedes seguiam se marcando para ver quem conseguia maior quilometragem, com os italianos tendo 117 giros com Leclerc e Hamilton e Bottas somando 116, a Toro Rosso resolvia entrar na brincadeira completando sua 100ª volta com Albon.

Com menos de duas horas para o fim da sessão, uma surpresa. Magnussen teve problema com seu banco e a Haas precisou tirar o dinamarquês da atividade. Quem acabou ganhando sua primeira chance em Barcelona foi Pietro Fittipaldi, que estava programado para andar apenas na quarta e na quinta-feira.

A Red Bull chamava a atenção pela sequência reduzida de voltas rápidas, com muita volta de instalação no caminho, então resolveu botar Gasly na pista. E o resultado foi péssimo. O francês perdeu a traseira na curva 12 e bateu, saindo extremamente chateado do carro que nem parecia assim tão danificado. Bandeira vermelha acionada, de qualquer forma.


Na bandeira vermelha, Leclerc aparecia com 133 voltas, seguido de perto por Albon, que tinha 117. A Mercedes era a outra equipe que passava das 100 voltas, mas com os dois pilotos envolvidos. A bandeira verde voltou exatamente com uma hora para o fim.

Pietro ainda não tinha entrado na pista, mas três mudanças importantes aconteceram já no comecinho do retorno da sessão. Hülk, mesmo com pneus intermediários, superou Stroll e entrou no top-10, enquanto o top-5 ia mudando também.

Primeiro, Bottas foi parar em quinto, na frente do batido Gasly. Minutos depois, Albon também superou o francês e, no giro seguinte, passou o próprio Bottas, em quinto.

O segundo dia entrava em seus 30 minutos derradeiros quando Pietro foi fazer sua estreia em 2019. O brasileiro já chegou registrando tempos, primeiro em 1min34s, depois em 1min29s. Um pouco melhor na tabela, Hülk calçava os compostos macios e superava até Ricciardo, em oitavo.

Enquanto Bottas passava Albon mais uma vez e recolocava a Mercedes entre os cinco primeiros, Pietro baixava bastante sua marca, chegando em 1min23s918 e, depois, em 1min22s458. O brasileiro, ao todo, completou 13 voltas e fechou com um tempo melhor, cravando 1min21s849 no seu giro mais rápido, completando a estreia com o VF-19.

No apagar das luzes, ainda deu tempo para Norris assustar com a McLaren. Com direito ao melhor primeiro setor do dia, o britânico virou 1min18s553, se colocando em segundo e 0s3 atrás de Leclerc.

F1 2019, Testes coletivos, Barcelona, dia 2:

1 C LECLERC Ferrari 1:18.247   157
2 L NORRIS McLaren Renault 1:18.553 +0.306 104
3 K MAGNUSSEN Haas Ferrari 1:19.206 +0.959 59
4 A ALBON Toro Rosso Honda 1:19.301 +1.054 132
5 A GIOVINAZZI Alfa Romeo Ferrari 1:19.312 +1.065 100
6 V BOTTAS Mercedes 1:19.535 +1.288 89
7 P GASLY Red Bull Honda 1:19.814 +1.567 92
8 N HÜLKENBERG Renault 1:19.837 +1.590 95
9 D RICCIARDO Renault 1:19.886 +1.639 28
10 L HAMILTON Mercedes 1:19.928 +1.681 74
11 L STROLL Racing Point Mercedes 1:20.433 +2.186 79
12 P FITTIPALDI Haas Ferrari 1:21.849 +3.602 13

Assine aqui a Newsletter GP