F1

Leclerc confia em ter igualdade de condições na Ferrari, mas diz: “Tenho muito a aprender com Vettel”

Anunciado nesta semana como novo titular da Ferrari para 2019, Charles Leclerc falou sobre o que espera para a nova fase da sua carreira. E não acredita que vá desempenhar papel de segundo piloto, ao menos não no começo da próxima temporada
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Charles Leclerc (Foto: Sauber)
Enquanto Kimi Räikkönen ironizava as perguntas dos jornalistas sobre seu futuro na Sauber a partir da próxima temporada, Charles Leclerc era indagado sobre a nova fase da sua carreira como piloto da Ferrari. O monegasco vai ser o piloto mais jovem desde o mexicano Pedro Rodríguez, em 1961, a assumir a vaga de titular na equipe mais tradicional da F1. Naturalmente, o monegasco de 20 anos — completa 21 em 16 de outubro —, foi questionado também sobre a possibilidade de desempenhar a função de ser o segundo piloto, ajudando Sebastian Vettel a conquistar o título.
 
Leclerc entende que, ao menos no começo da temporada, vai começar com o mesmo status que o tetracampeão mundial, mas também acredita que é natural que, ao longo do campeonato, a Ferrari decida trabalhar por quem vai estar melhor colocado.
 
“Acho que é mais ou menos o que acontece em todas as equipes: você tem dois pilotos que começam a temporada com o mesmo status, e então, em determinado ponto da temporada, obviamente você vê algumas ordens de equipe porque, obviamente, apenas um piloto está lutando pelo título, enquanto o outro, não”, salientou.
Charles Leclerc está ansioso para trabalhar ao lado de Sebastian Vettel em 2019 (Foto: AFP)
“Acho que isso é normal, em toda equipe isso acontece. Mas acredito que eles vão nos deixar correr [de forma livre] no começo da temporada”, complementou Leclerc.
 
Charles ressaltou o quanto admira seu futuro companheiro de equipe e deixou claro que não vê a hora de poder acumular experiência ao lado do alemão nos boxes da Ferrari a partir de 2019.
 
“Ele sempre foi muito gente boa comigo. Toda vez em que eu fazia um bom trabalho no simulador, ou então na F2, ele sempre me mandava uma mensagem e isso era ótimo. E vai ser ainda melhor trabalhar com ele. Claro, tenho muito a aprender com ele”, disse.
 
Por fim, o monegasco foi indagado sobre a chance de lutar por vitórias e até pelo título na próxima temporada, até considerando o sólido desempenho da Ferrari neste ano. Mas o discurso do jovem piloto é bastante ‘pés no chão’.
 
“É difícil dizer agora, mas meu objetivo é aproveitar a melhor chance possível com o carro que vou ter. Neste ano, eles têm um carro para conquistar o título, e se, no ano que vem, for o mesmo, obviamente então vai ser para ganhar o título, o que definitivamente é algo grande. Mas vou ter de crescer muito como piloto. E vai ser para obter o melhor resultado possível”, encerrou o novo titular da Ferrari na F1.