F1

Lanterna da sexta-feira na Austrália, Williams expõe grave crise e vira quase 1s mais lenta que em 2018

Enquanto Lewis Hamilton foi 1s331 mais rápido na comparação com o segundo treino livre do GP da Austrália do ano passado, a Williams regrediu e conseguiu ser a única a andar mais lenta que o TL2 de 2018 em Melbourne. Tanto George Russell como Robert Kubica ficaram bem acima dos 1min25s543 estabelecido por Lance Stroll na temporada anterior

Grande Prêmio / FERNANDO SILVA, de Sumaré
Que a Williams vive a mais grave crise da sua história, parece não haver a menor dúvida. A pré-temporada caótica com o atraso no FW42 e o afastamento do diretor-técnico Paddy Lowe evidenciaram dias muito difíceis em Grove. E os dois treinos livres que abriram o fim de semana do GP da Austrália confirmaram o abismo de performance que separa a outrora gloriosa Williams do restante do grid. A ponto de o melhor tempo registrado pela equipe nesta sexta-feira (15) ser 0s9 mais lento na comparação com o ano passado, enquanto o dono da volta mais rápida do segundo treino livre, Lewis Hamilton, melhorou 1s331 em relação a 2018.
 
Na temporada passada, a Williams contava com Lance Stroll e Sergey Sirotkin como pilotos. Já não era um ano dos mais fáceis, e a tabela de tempos do segundo treino livre do primeiro fim de semana de 2018 mostrou isso. O canadense foi o 14º colocado com 1min25s543 como melhor tempo, enquanto Sirotkin aferiu 1min25s974.
George Russell ficou a 0s9 do melhor tempo estabelecido pela Williams no TL2 de 2018 na Austrália (Foto: Williams)
O natural seria que a equipe evoluísse e registrasse tempos melhores neste início de 2019, como todas as outras fizeram. Mas os novos titulares George Russell e Robert Kubica não tiveram carro sequer para se aproximar os tempos registrados no ano passado. 
 
O novato britânico, que faz seu primeiro fim de semana como piloto de F1, anotou 1min26s453 como melhor tempo, exatamente 0s9 atrás da marca de Stroll. Kubica não passou de 1min26s655, sendo enormes 4s055 mais lento que Hamilton.
 
A melhor marca de Russell no treino desta tarde em Melbourne lhe daria apenas a 18ª colocação na segunda sessão do ano passado. Novamente a título de comparação, Lando Norris, que no TL2 de 2019 na Austrália foi o 18º colocado com a McLaren, com o tempo de 1min42s733, seria o oitavo colocado no segundo treino de 2018.
 
E para comprovar que o abismo é mais profundo do que se imagina, a Williams conseguiu ser mais lenta do que a melhor marca do segundo treino na Austrália de dois anos atrás. Em 2017, quando ainda tinha Felipe Massa, a escuderia de Grove teve 1min26s331, tempo registrado pelo brasileiro e 0s122 mais rápido que o estabelecido por Russell nesta tarde.
 
O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e em TEMPO REAL todo o fim de semana do GP da Austrália, prova que abre a temporada 2019 do Mundial de F1. Siga tudo aqui.