F1

Hamilton quer ajuda da FIA para incentivar estudo entre jovens pilotos: “Muitos não recebem educação”

Lewis Hamilton pensa em muito mais que as pistas e o próximo título mundial. O piloto inglês, agora cinco vezes campeão mundial, sabe o papel que as figuras da F1 possuem sobre os jovens. Além de querer trabalhar para incentivar a educação de maneira geral, tem a também a preocupação de fazer com que jovens pilotos não deixem de lado os estudos - prática comum no esporte
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Lewis Hamilton (Foto: AFP)

Agora pentacampeão mundial e cada vez mais importante entre os nomes históricos da F1, Lewis Hamilton sabe que será uma figura inesquecível das corridas, mas não quer apenas isso. Quer ser também alguém que desempenha um papel importante no incentivo à educação.
 
Hamilton avalia que pilotos da F1 contam com uma influência grande nas crianças - ele próprio lembra que ficou maravilhado quando, ainda menino, conheceu David Coulthard e Mika Häkkinen, então dupla da McLaren. Com isso em mente, quer realizar um projeto voltado para a educação ao lado da FIA. Sobretudo com jovens pilotos que pensam em deixar o ensino secundarista.
 
"Eu quero continuar guiando com tudo e continuar incentivando as crianças. Espero me reunir com Jean [Todt, presidente da FIA] em algum momento, porque acredito que existe um impacto positivo que podemos ter em crianças que ainda estejam nas escolas", disse.
Lewis Hamilton e Valtteri Bottas (Foto: AFP)
O pentacampeão destacou preocupação com os jovens pilotos que abandonam a escola com permissão dos pais para buscar o sonho da F1 ou de qualquer outra categoria do esporte a motor. É necessário que haja, para todos, um outro plano.
 
"Muitas crianças que estão nas corridas não tem ou recebem educação. Os pais tiram as crianças do colégio para focar em alcançar essa meta [da F1], e aí, quando não acontece, você fica sem alternativas", avaliou.
 
Hamilton sabe que será sempre "lembrado como piloto", mas, se pudesse escolher, queria outra memória dele que se destacasse igualmente - como destacou em outra oportunidade, com a presença do GRANDE PRÊMIO
 
"Claro que ganhar um campeonato é uma coisa ótima, mas espero trabalhar com Jean para que essas crianças, mesmo que não cheguem à F1 ou não virem profissionais, possam ser engenheiros. Há milhares de pessoas nessas equipes, são muitas oportunidades dentro das organizações, então é algo com o qual eu quero me envolver", afirmou.
 
"Esse grande esporte e essa enorme oportunidade que eu tive criaram uma fundação e oportunidade para que eu faça outras coisas. Eu sempre quis ter um impacto positivo. Não quer apenas receber coisas. Quero fazer coisas positivas para o futuro", seguiu.
 
"Então, se quiser ser lembrado por alguma coisa, é por construir escolas tanto incentivando a educação quanto ajudando pessoas nos momentos difíceis. É difícil colocar isso em palavras, mas eu não quero que meu tempo na Terra signifique nada", encerrou.

E o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece este ano nos dias 9, 10 e 11 de novembro, no autódromo de Interlagos. Os ingressos para a corrida estão disponíveis no único site oficial do evento: www.gpbrasil.com.br