F1

Em dia de novidades, Vettel coloca Ferrari na ponta da manhã de abertura da pré-temporada em Barcelona

A aguardada primeira semana de pré-temporada da F1 começou com a Ferrari mostrando velocidade e também confiabilidade. Sebastian Vettel foi quem mais completou voltas nesta manhã em Barcelona e registrou o melhor tempo, 1min18s425. O primeiro período teve boas surpresas: Sergio Pérez, com a Racing Point, em segundo. Valtteri Bottas colocou o novo Mercedes W10 em terceiro

Grande Prêmio, de Barcelona / VITOR FAZIO, de Barcelona / FERNANDO SILVA, de Sumaré
Acabou a espera. Finalmente, depois de quase dois meses de pausa, a F1 voltou a acelerar nesta segunda-feira (18), na abertura dos testes de pré-temporada em Barcelona. Um dia frio, porém ensolarado na Catalunha, marcou o início das atividades de pista, que teve a Ferrari como grande protagonista. Sebastian Vettel começcou bem os trabalhos com a nova SF90, mostrando velocidade e confiabilidade. O tetracampeão mundial completou a manhã com o melhor tempo, 1min18s161. Seb liderou a tabela de tempos na maior parte do primeiro período e ainda tratou de melhorar sua volta nos minutos finais, passando das 70 voltas completadas. Foi o piloto que mais andou pela manhã.

A título de comparação, o melhor tempo do primeiro dia de testes de pré-temporada em 2018 foi de 1min20s179, feito por Daniel Ricciardo, então na Red Bull. Na oportunidade, o dia estava mais frio e nublado do que nesta segunda-feira ensolarado em Barcelona. Ou seja, a marca estabelecida nesta manhã já foi 1s5 mais rápida.
Sebastian Vettel mostrou o potencial da Ferrari na abertura da pré-temporada da F1 (Foto: AFP)
Duas bandeiras vermelhas marcaram a sessão pela manhã: a primeira, com apenas cinco minutos, com Kimi Räikkönen, que rodou com sua nova Alfa Romeo C38 na curva 5 do circuito catalão. Depois, foi a vez de Romain Grosjean enfrentar problemas com a Haas VF-19 preta e dourada.

A grande surpresa da manhã de testes foi a presença da Racing Point em segundo lugar. Sergio Pérez, com os novos pneus C3 — exatamente no meio da escala entre os mais duros e os mais macios fornecidos pela Pirelli —, colocou a nova equipe só atrás da Ferrari. Com 1min19s944, o mexicano não chegou a completar muitas voltas, mas o suficiente para se posicionar à frente da Mercedes de Valtteri Bottas.

Com os pneus C2, o finlandês anotou 1min20s172 com o novo W10 antes de entregar o carro prateado para Lewis Hamilton, que vai assumir os trabalhos da Mercedes no período da tarde. Räikkönen, horas depois de apresentar o novo carro da Alfa Romeo, o C38, completou a manhã na quarta posição, enquanto Max Verstappen levou o RB15, agora empurrado pelo motor Honda — que não apresentou nenhum problema —, ao quinto lugar. Coube ao holandês a maior velocidade final aferida no primeiro período: 320 km/h na reta dos boxes.

Carlos Sainz fez uma estreia sem problemas com o McLaren MCL34 e completou o primeiro período em sexto lugar, com Nico Hülkenberg na sétima posição com a Renault. O alemão vai dar lugar a Daniel Ricciardo, que vai estrear pela equipe anglo-francesa no período da tarde. Grosjean levou a Haas à oitava colocação, mas completou o menor número de voltas na sessão, apenas 18. O piloto foi seguido por Daniil Kvyat, que volta à F1 com a Toro Rosso, fechando a lista dos pilotos que aceleraram antes do almoço em Barcelona.

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a pré-temporada da F1 em Barcelona com os repórteres Eric Calduch, Evelyn Guimarães e Vitor Fazio, e o fotógrafo Xavi Bonilla. Acompanhe tudo aqui.

Saiba como foi a manhã do primeiro dia de pré-temporada da F1
 
A primeira atividade coletiva da Fórmula 1 em 2019 começou exatamente às 9h de Barcelona, 5h de Brasília. Valtteri Bottas, responsável pela Mercedes W10 durante a manhã, foi o primeiro a deixar os boxes, seguido por Carlos Sainz, na estreia com a McLaren. Como de costume, era uma missão breve: o finlandês fez volta de instalação e logo voltou à garagem. Nico Hülkenberg fez o mesmo com a Renault.

Ao longo da sessão, o público que acompanha a F1 teve de lidar com uma nova nomenclatura dos pneus disponibilizados pela Pirelli. São cinco os tipos disponibilizados pela fornecedora de Milão na escala que vai do C1, o mais duro, até o C5, o mais macio.
 
Assim como Kimi Räikkönen. Mas aí... O campeão da F1 em 2007 rodou na curva 5, atolando o novo Alfa Romeo C38 na caixa de brita. Era a primeira bandeira vermelha de 2019, uma que durou aproximadamente dez minutos, tempo necessário para a equipe de resgate recolher o bólido. 
Kimi Räikkönen é resgatado depois da bandeira vermelha no início da sessão (Foto: AFP)
A bandeira verde logo foi agitada, permitindo que Bottas assumisse a liderança da tabela de tempos com 1min24s381. Hülkenberg foi um pouco melhor minutos depois, conseguindo 1min24s365. Mas quem realmente começou a pisar fundo foi Sebastian Vettel: com a nova Ferrari, o alemão anotou 1min20s920 e virou líder com facilidade.
 
Depois da impressão negativa, Räikkönen tratou de trazer uma positiva. Aproximadamente 40 minutos após atolar na brita, o finlandês voltou a somar voltas com a Alfa Romeo.

Não só o piloto conseguiu quilometragem decente, somando dez voltas;, deu também para andar rápido: Kimi apareceu em segundo, apenas 0s025 mais lento que Vettel. Sergio Pérez e Carlos Sainz Jr., respectivamente com Racing Point e Renault, também melhoraram e apareceram em terceiro e quarto, mesmo que mais de 1s mais lentos que o tetracampeão.
 
Vettel, aliás, tinha sua dose de problemas também. O alemão rodou na saída da penúltima curva. A situação foi preocupante, mas não deu em nada: Sebastian evitou a brita e seguiu adiante.
Max Verstappen chegou a ter problemas, mas viveu uma manhã positiva (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Enquanto isso, a Red Bull seguia quieta nos boxes. Max Verstappen havia dado uma única volta antes de passar quase uma hora inteira sem voltar a dar o ar da graça por motivos não explicados. Qualquer que seja o motivo, o importante é que o holandês conseguiu encaixar uma sequência decente na metade da manhã, apareceu em quinto com nove voltas.
 
Já na segunda metade da manhã, Vettel resolveu pisar fundo. Com pneus C2, o segundo mais duro na escala de cinco pneus disponibilizados pela Pirelli, o alemão conseguiu o tempo de 1min19s137. Mais uma tentativa e, agora com o C3, o tempo do líder caiu para 1min18s425. O segundo mais próximo era Pérez, que corria para melhorar a quilometragem da Racing Point. O mexicano alcançou a marca de 12 voltas, ainda uma das piores do dia, e devia 2s2 para Vettel.
Sergio Pérez pulou para segundo na meia hora final da manhã em Barcelona (Foto: AFP)
Em seguida, Verstappen conseguiu marcar outra boa volta e, com a versão C3 dos pneus, anotou 1min20s174 para assumir a segunda colocação, superando a Mercedes de Bottas e a Racing Point de Pérez, com Räikkönen completando a lista dos cinco primeiros. O carro taurino também se destacava pela maior velocidade de reta no momento: 320 km/h. Bottas, também na pista com o novo W10, seguia melhorando com os pneus C2. E Vettel exibia confiabilidade e bom desempenho com a SF90.

Perto da meia hora final, Bottas e Vettel recolheram para os boxes. Aí o protagonismo ficou com os pilotos das equipes intermediárias. Pérez conseguiu colocar a nova Racing Point azul e rosa na segunda posição ao cravar 1min19s944 com os pneus C3, seguido por Räikkönen e a Alfa Romeo. Verstappen seguia na pista buscando a maior quilometragem possível, e Bottas tinha o quinto tempo, à frente de Carlos Sainz.

Logo, Vettel tratou de ganhar novamente as pistas, assim como o compatriota Hülkenberg — antes de entregar o volante a Daniel Ricciardo no período da tarde. Também neste período, Verstappen conseguiu melhorar seu tempo para marcar 1min20s174, mas se manteve na quarta posição. Seb tratou de melhorar ainda mais seu tempo para registrar 1min18s161, reforçando ainda mais o potencial da recém-nascida SF90. Na sequência, Bottas superou Kimi e passou para terceiro com 1min20s127 com os pneus C2, ainda 1s966 atrás de Vettel.

Às 13h locais, a F1 fez uma breve pausa de uma hora para o almoço. As atividades voltam às 14h de Barcelona, 10h de Brasília. Acompanhe tudo AO VIVO no GRANDE PRÊMIO.

F1 2019, testes coletivos, Barcelona, dia 1, manhã:

1 S VETTEL Ferrari 1:18.161   72
2 S PÉREZ Racing Point Mercedes 1:19.944 +1.783 20
3 V BOTTAS Mercedes 1:20.127 +1.966 69
4 K RÄIKKÖNEN Alfa Romeo Ferrari 1:20.160 +1.999 46
5 M VERSTAPPEN Red Bull Honda 1:20.174 +2.013 52
6 C SAINZ JR McLaren Renault 1:20.430 +2.269 56
7 N HÜLKENBERG Renault 1:20.980 +2.819 65
8 R GROSJEAN Haas Ferrari 1:21.500 +3.339 18
9 D KVYAT Toro Rosso Honda 1:21.732 +3.571 35