F1

Diretor-técnico da Racing Point prevê “maior mudança de regulamento da história” da F1 em 2021

Andy Green, diretor-técnico da Racing Point, prevê um “tsunami de trabalho que está prestes a pousar sobre nós em 2021” considerando todas as mudanças que estão por vir no regulamento técnico, ditando sobre a aerodinâmica dos novos carros do Mundial de F1
Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
Enquanto a F1 se prepara para uma semana cheia de lançamento dos carros visando a temporada 2019, há quem pense mais à frente. Há a expectativa de profundas mudanças no regulamento técnico da categoria, o que tende a mudar todo o conceito de um carro a partir de 2021. Os trabalhos já estão em curso com três modelos distintos em simulações no túnel de vento, com a assistência de todas as dez equipes do Mundial. A ideia, tanto da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) como também do Liberty Media, dono da F1, é tornar o esporte mais atraente, com carros mais agressivos e que proporcionem um melhor espetáculo ao fã do automobilismo.
 
Na visão de Andy Green, engenheiro e diretor-técnico da Racing Point, o que está por vir em termos de mudanças no aspecto aerodinâmico é muito maior do que um dia a F1 já viu. “Em 2021 vamos ter a maior mudança de regulamento aerodinâmico da história”, destacou o britânico em entrevista à revista ‘Autosport’.
 
“Algo semelhante ao que aconteceu quando desapareceu o efeito solo. Estou ansioso por isso. As mudanças de 2021 não têm nada a ver com as mudanças de 2019. É algo completamente diferente”, comparou.
As mudanças para 2019 "não têm nada a ver" com o que está previsto para 2021, diz Green (Foto: Force India)
Para 2019, por exemplo, há mudanças feitas para melhorar o espetáculo e, principalmente, fazer com que as corridas tenham mais ultrapassagens. A simplificação na asa dianteira, mais larga a partir deste ano, é para reduzir a turbulência que atrapalha a aproximação dos carros e impede manobras de ultrapassagem de forma natural, sem o artifício do DRS.
 
Green vai além e prevê um “tsunami de trabalho que está prestes a pousar sobre nós em 2021”.
 
“É infinitamente mais pesquisado do que qualquer outro tipo de regulamento antes, mas isso não é difícil porque nada foi feito antes. Eles não vão conseguir acertar tudo, claro, mas é um enorme passo no rumo certo”, disse o engenheiro, na expectativa pelo que está por vir. “Acho que 2021 é um conceito completamente diferente de carro”.
 
“Vai ser muito empolgante para os engenheiros ao trabalhar em um ajuste de regulamentos completamente diferente, como estão propondo. Mal posso esperar, vai ser incrível. Esses carros que eles estão buscando para 2021, acredito que vão fazer uma grande diferença nas corridas, e os carros acompanhando [uns aos outros]”, destacou.
 
“Esse é um enorme passo a partir de onde estamos agora”, completou o diretor-técnico da Racing Point, que vai apresentar ao mundo o carro para 2019 na próxima quarta-feira, 13 de fevereiro, em um evento organizado em Toronto, no Canadá.