F1
13/09/2018 08:17

“Decepcionado”, Ocon se vê com cada vez menos chances de estar na F1 em 2019: “É duro de engolir”

Esteban Ocon revelou tristeza e decepção com a falta de perspectiva de estar na F1 em 2019. O jovem francês disse que “não são apenas os resultados que contam, tem as outras coisas”. E descartou romper laços com a Mercedes para seguir no grid na próxima temporada
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Esteban Ocon (Foto: Force India)
A perspectiva cada vez menor de encontrar uma vaga para alinhar no grid do Mundial de F1 na próxima temporada entristece Esteban Ocon. O jovem e promissor piloto francês, que vai completar 22 anos no próximo dia 17, sabe que as chances de seguir na Force India, ainda mais com a iminente chegada de Lance Stroll, são cada vez menores. Esteban lamentou que tudo mudou de dois meses para cá. De garantido para um projeto de longo prazo na Force India, o piloto tende a perder lugar na equipe, agora administrada pelo consórcio que tem Lawrence Stroll como líder.
 
Em entrevista coletiva concedida na tarde desta quinta-feira (13) em Singapura, palco do GP deste fim de semana, Ocon reforçou sua decepção e salientou a boa temporada que tem feito. Esteban é o décimo colocado no Mundial de Pilotos e soma 45 pontos, apenas um a menos em relação ao seu companheiro de equipe, Sergio Pérez — que tende a seguir na Racing Point Force India no ano que vem.
 
“Não estou frustrado, estou muito decepcionado, essa é mais a palavra. Não estou chateado contra alguém ou alguma coisa. Mas tenho trabalhado muito duro para chegar aqui, sigo trabalhando duro ao longo desses dois últimos anos. Neste ano, evoluí em relação ao ano passado, está 11 a 3 para mim em classificações contra o Sergio [Pérez]”, desabafou.
Esteban Ocon está cada vez mais distante de garantir uma vaga na F1 para 2019 (Foto: Force India)
“Estou lutando muito para fazer o melhor que posso em todas as corridas, de modo que chegar aqui sem saber o que vou fazer no ano que vem é duro de engolir”, disse um entristecido Ocon.
 
“Ainda há esperanças, sim, mas cada vez menos, como você sabe. É por isso que estou um pouco decepcionado no momento, por ver que não são apenas os resultados que contam, tem as outras coisas. É por isso que estou decepcionado por estar nesta situação. É difícil acreditar que estava em uma ótima posição há dois meses e as coisas estão assim para mim agora”, complementou.
 
Ocon falou que ainda há conversas, por meio da Mercedes, até com a Williams, mas reconhece que mesmo em Grove a situação para encontrar um lugar não é fácil.  “Ainda há conversas, provavelmente com eles ou algum outro lugar para onde poderia ir, mas tem sido cada vez menos, também”.
 
Uma das justificativas para que equipes como Renault, McLaren, Toro Rosso e Haas descartassem sua contratação é o vínculo que o francês tem com a Mercedes. Mas Esteban deixou claro que não pensa em romper os laços com Toto Wolff para se garantir no grid da F1 no ano que vem.
 
“Jamais falei sobre isso. O que sei é que tenho um contrato com a Mercedes e nunca falei sobre isso. Mas o que deve ser levado em conta são os resultados, o trabalho que o piloto emprega e o esforço que ele faz para entregar. Essas coisas extras do esporte não deveriam ser levadas em conta. E é aí que estou um pouco decepcionado, pela forma como as coisas acabaram”, finalizou.