F1

De “cabeça erguida”, Vettel define título dos Construtores como meta: “Vamos dar nosso máximo”

A Ferrari não conquista um título do Mundial de Construtores desde 2008. Sebastian Vettel, contratado para ser o homem capaz de levar de novo a equipe de Maranello ao topo, deixou claro que vai lutar até o fim. 55 pontos separam a líder, Mercedes, da Ferrari, com 86 em jogo
Warm Up, de São Paulo / FERNANDO SILVA, de Interlagos / FELIPE NORONHA, de Interlagos / GABRIEL CURTY, de Interlagos
 Sebastian Vettel (Foto: AFP)

Sebastian Vettel deu uma concorrida entrevista coletiva na gelada manhã desta quinta-feira (8) em Interlagos. O alemão, que na última quarta-feira participou de um evento promovido pela Shell no circuito Velo Città, em Mogi Guaçu, falou aos jornalistas principalmente sobre os objetivos para o fim da temporada, tendo a conquista do Mundial de Construtores para a Ferrari como a meta principal, mas também foi questionado sobre ter Charles Leclerc como futuro companheiro de equipe a partir do ano que vem.
 
Vettel é naturalmente questionado sobre o que faltou para brigar até o fim com Lewis Hamilton pelo título da temporada, confirmado pelo britânico no último GP do México, há duas semanas. O fato é que, para o germânico, 2019 começa neste fim de semana com a disputa do GP do Brasil em Interlagos, vencido por Seb em três oportunidades: 2010 e 2013, pela Red Bull, e no ano passado, vestindo as cores da Ferrari.
 
De qualquer forma, um eventual título do Mundial de Construtores, feito que não é alcançado desde 2008, serviria como um impulso para a Ferrari visando a próxima temporada, quando tem como meta finalmente superar a rival Mercedes, imbatível desde 2014.
Sebastian Vettel ainda tem um objetivo nesta temporada: levar a Ferrari à conquista dos Construtores (Foto: Ferrari)
“Temos tentado tudo o possível. Vamos com tudo para pontuar o máximo possível. Vamos dar tudo. Vimos na última corrida o quão rápido as coisas podem mudar. Já estivemos do lado ruim da relação com os pneus também, então vamos manter a cabeça erguida e dar nosso máximo”, declarou o tetracampeão do mundo em Interlagos.
 
Nas últimas duas corridas, Estados Unidos e México, a Ferrari somou mais pontos que a Mercedes e reduziu a diferença no Mundial. Com 86 pontos em jogo entre Brasil e Abu Dhabi, a escuderia prateada lidera com 55 pontos de vantagem sobre a rival italiana.
 
Perguntado sobre o futuro companheiro de equipe, Charles Leclerc, Seb ressaltou o processo de imersão pelo qual passa o monegasco desde quando foi confirmado como titular da Ferrari para 2019. Vettel entende que o aprendizado faz parte do processo, é contínuo e vai ajudar o jovem piloto a ser competitivo logo de cara.
 
“Vamos ver. Eu acho que vai ser sempre próximo quando um piloto guia o mesmo carro. Houve um motivo pelo qual ele obteve a vaga. Então acho que é um aprendizado, não importa se seu companheiro de equipe é mais jovem, mais velho ou tem menos corridas. Acho que sempre há alguma coisa a aprender, seja dentro ou fora do carro”, complementou.
 
O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do Brasil de F1 com os repórteres Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Gabriel Curty, Juliana Tesser, Nathália de Vivo e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe tudo aqui.