F1

Confira declarações dos pilotos após GP da Inglaterra, décima etapa da temporada 2018 da F1

Sebastian Vettel bateu Valtteri Bottas e venceu o GP da Inglaterra deste domingo (8). Lewis Hamilton ganhou a posição de presente do companheiro de Mercedes, com Kimi Räikkönen também aproveitando para superar o #77
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Sebastian Vettel

Sebastian Vettel venceu o GP da Inglaterra deste domingo (8). Largando em segundo, o germânico tomou a ponta ainda nos primeiros metros, mas teve de suar um pouco mais depois de perder a ponta para Valtteri Bottas na primeira intervenção do safety-car.
 
Na 47ª das 52 voltas da corrida em Silverstone, Vettel tomou a ponta de Bottas e disparou na frente, com Lewis Hamilton e Kimi Räikkönen também superando o #77 para completarem o pódio inglês.
 
Bottas, então, ficou com o quarto posto, à frente de Daniel Ricciardo e Nico Hülkenberg. Esteban Ocon vem na sequência, com Fernando Alonso, Kevin Magnussen e Pierre Gasly completando o rol dos dez primeiros.
Sebastian Vettel venceu o GP da Inglaterra (Foto: Ferrari)
Sergio Pérez ficou com o 11º posto, seguido por Stoffel Vandoorne, Lance Stroll e Sergey Sirotkin. Max Verstappen abandonou com seis voltas para o fim, mesmo destino de Romain Grosjean, Carlos Sainz Jr., Marcus Ericsson, Charles Leclerc e Brendon Hartley.
 
Confira as declarações dos pilotos:
 
 
 
 
 
 
Nico Hülkenberg, sexto: “Estou muito feliz, foi um dia positivo. Acho que foi o resultado máximo que poderíamos pedir aqui hoje. Nós tivemos uma boa largada, aí uma primeira volta sólida logo para a sexta posição. Teve, obviamente, um caos no caminho para as curvas dois e três, e eu consegui desviar e ganhar algumas posições. Depois disso, foi uma questão de controlar os pneus e a corrida. Nós escolhemos o pneu duro, que talvez tenha sido um pouco lento em termos de ritmo, mas nós queríamos fazer uma parada. No geral, foi uma corrida forte especialmente ganhando outra posição no final com a Red Bull rodando. Estou feliz. Oito pontos para o time foi um bom dia”.
 
Esteban Ocon, sétimo: “Estou muito feliz com o resultado de hoje. O sétimo lugar é bom depois de uma corrida tão difícil. O safety-car não facilitou as coisas, porque os pneus estavam frios depois da relargada e não foi fácil manter Fernando [Alonso] e Kevin [Magnussen] atrás de mim nas últimas voltas. Estou muito cansado mentalmente, porque foi realmente uma grande luta até o fim. É importante que somamos mais pontos aos bons pontos que conquistamos na Áustria na última semana. O carro está melhorando e estamos correndo bem, então tenho de dizer obrigado ao time por seu trabalho duro. Nós continuamos forçando e o resultado está vindo”.
 
 
Kevin Magnussen, nono: “Somamos dois pontos e é isso que importa. Foi o melhor dia que poderíamos ter. Poderia ser melhor, deveria ter sido, mas aqui estamos nós. Mesmo assim, pontuamos”.
 
Pierre Gasly, décimo: “Estou super feliz por voltar aos pontos. Não esperava terminar no top-10 nesta pista, uma vez que nós soremos um pouco com alguns problemas e performance. Tive uma dura batalha com Sergio Pérez no fim da corrida, vi uma chance na última chicane, foi bastante apertado e nos tocamos um pouco, mas no fim da contas consegui fazer a ultrapassagem. Deixar Silverstone com um destaque positivo é uma grande recompensa para a equipe depois de um fim de semana difícil, no qual eles trabalharam duro. O carro esteve bem hoje, então estou ansioso para voltar ao volante na Alemanha.”
 
Sergio Pérez, 11º: “Não posso ficar totalmente feliz com a corrida de hoje. O incidente na largada comprometeu a minha corrida: eu perdi a traseira tentando evitar os incidentes à frente, rodei e, de repente, estava no fundo do grid. Depois disso, nossa corrida foi bem forte. Nós tivemos um bom ritmo e ultrapassamos muitos carros. Nós fizemos o máximo com vários safety-cars e voltamos aos pontos. Com duas voltas para o fim, Gasly me empurrou para fora da pista. Eu dei espaço suficiente para ele, mas isso não foi o bastante: nós fizemos um contato e eu perdi a posição. Acho que foi uma manobra injusta. Estou feliz por a FIA ter agido depois da corrida para penalizar Gasly, o que me devolveu meu ponto final. Meu foco agora é descansar depois da trinca de corridas. Vamos analisar essas corridas e voltar mais fortes para a Alemanha”.
 
Stoffel Vandoorne, 12º: “Foi uma corrida muito dura para nós. Foi difícil se aproximar de alguns dos nossos adversários e desapontador não terminar com pontos. Desde a largada, tive a mesma sensação de ontem no carro, então seria um dia difícil. O lado positivo é que o ritmo estava um pouco melhor. Conseguimos acompanhar alguns carros que pontuaram, como os da Force India e da Renault, mais ou menos acompanhando o mesmo ritmo. A equipe fez de tudo para encontrar as causas dos problemas, mas é claro que durante o regime de parque fechado você não consegue mudar nada sem largar dos pits. Foi uma sequência de corridas dura para mim, todos estão cansados, então merecemos um descanso”
 
Lance Stroll, 13º: “A largada foi muito apertada, especialmente por Sergey [Sirotkin], que estava à minha frente na largada a partir do pit-lane. Foi uma experiência diferente. Acho que não tive sorte, e nossa corrida poderia ter sido bem melhor. Fiz o pit-stop na volta 31, uma volta antes do safety-car. Isso foi depois de ter feito um bom stint com os pneus médios, então foi uma pena. Se tivesse dado mais uma volta, provavelmente teria ganho algum tempo parando durante o regime do safety-car e poderíamos talvez ter finalizado nos pontos. De qualquer forma, isso é sorte no automobilismo, questão de acertar ou errar. De resto, foi ok e nós seguimos o trem hoje. No fim das contas, pude ver alguns carros à minha frente e não tão longe, o que foi bom.”
 
Sergey Sirotkin, 14º: “Acho que foi uma corrida bem dolorosa. A primeira parte não pareceu tão ruim. Acho que tivemos uma gestão razoável dos pneus com o pneu de classificação. Ainda assim, faltou bastante ritmo, mas ao menos ficou tudo sob controle. Então, nós retardamos o pit-stop com a esperança de ter um bom segundo stint, que foi mais curto e mais rápido, mas então tivemos pela rente muitas bandeiras azuis, e os safety-cars tornaram as coisas difíceis para os pneus. Depois disso, fiquei com um composto mais duro em relação a todos os outros carros à minha volta, que ficaram com os compostos macios, mais aquecidos. Foi muito doloroso como piloto correr para a bandeirada. No geral, foi bem decepcionante.”
 
 
Carlos Sainz Jr., não completou: “Tive uma boa largada, pulado sete posições, de 16º para nono. Nós perdemos algumas posições depois do primeiro pit-stop, mas ai, depois de parar outra vez para colocar os pneus macios no momento do safety-car, estávamos tentando voltar para os pontos. Foi uma pena terminar daquele jeito. Vamos olhar para Hockenheim”.
 
Romain Grosjean, não completou: “No começo da corrida eu e o Kevin [Magnussen] erramos. Não deveria ter acontecido, então precisamos nos assegurar de que não vai acontecer novamente. Foi algo que nos custou muitas posições na primeira curva. Depois, com o Carlos [Sainz Jr.], eu sinceramente ainda não vi o vídeo. A sensação é de que ele pegou pesado ao contornar a curva e não me deixou com espaço por dentro. Tentei frear para evitar contato, mas não havia espaço. É uma pena”.
 
Marcus Ericsson, não completou: “É desapontador não terminar a corrida de hoje. Estava indo muito bem, estávamos seguindo a estratégia e tivemos um bom primeiro stint. Aí, o segundo stint começou realmente bem e nós estávamos esperando ficar mais fortes ao longo da corrida. Infelizmente, tive de abandonar depois da batida na curva um. O DRS estava aberto, e eu perdi o carro. O positivo é que nós progredimos mais ainda, e estou ansioso para reagir no próximo GP em duas semanas”.
 
Charles Leclerc, não completou: “Eu ainda não sei se foi uma falha técnica ou um erro de um mecânico no pit-stop. De qualquer forma, foi um fim de semana muito positivo. Nós fomos muito fortes na corrida, pressionando Nico [Hülkenberg]. O sétimo lugar era uma possibilidade hoje. Se foi uma falha mecânica, isso acontece no esporte a motor. E, se foi um erro de um mecânico, nós temos liderado o tempo dos pit-stops, então eles estão fazendo um trabalho incrível e, às vezes, acontece de comer um erro. Mesmo assim, tudo bem. Nós perdemos alguns pontos hoje, o que é uma pena, mas vamos recuperar”. 
 
Brendon Hartley, não completou: “Não acredito muito em sorte ou superstição, mas acho que é justo dizer que as últimas semanas foram bem infelizes para mim. Esteve tudo fora do meu controle neste fim de semana: a falha na suspensão ontem no terceiro treino e outro problema técnico hoje, antes ainda de largarmos para a corrida, então não há muito o que comentar sobre os últimos dois dias. É decepcionante, mas agora é resetar, aproveitar alguns dias para relaxar e preparar para a próxima corrida. Tenho total confiança em todas as pessoas na Toro Rosso, que vão trabalhar duro nas próximas duas semanas, assim como eu vou, para melhorar e mostrar nosso máximo em Hockenheim.”
 
UMA DAS MELHORES CORRIDAS DO ANO

ABANDONO DE HAMILTON RECOLOCA VETTEL NO CAMINHO DO PENTA