F1

Com possível saída de Ocon, Gasly diz que F1 precisa de sistema “mais fácil e justo” para jovens pilotos

Esteban Ocon segue sem encontrar espaço no grid da F1 para 2019 - e isso tem incomodado até mesmo outros pilotos. Pierre Gasly, que conseguiu vaga na Red Bull para a próxima temporada, crê que a categoria precisa encontrar uma solução para que jovens talentosos não fiquem fora do campeonato
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Pierre Gasly (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Esteban Ocon segue sem encontrar espaço no grid da F1 para a próxima temporada - e esse drama tem incomodado até mesmo outros pilotos, que sabem do talento do jovem francês. Seu compatriota Pierre Gasly, por exemplo, conseguiu vaga na Red Bull, mas sabe que o atual piloto daForce India merece tanto quanto ele se manter na categoria.

Em entrevista nesta quarta-feira (12) em Singapura, Gasly afirmou que a F1 precisa encontrar um "sistema mais fácil e justo" para que o talento de jovens pilotos não seja desperdiçado.

"Eu não sou a pessoa que pode mudar as coisas, mas a F1 deveria encontrar uma maneira mais fácil e justa para que um piloto de talento que mereça estar na F1 tenha a certeza de que vai permanecer. Acho que desempenho deveria ser o único critério para estar no grid", disse o francês.
Pierre Gasly (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
O ainda piloto da Toro Rosso deu exemplos de pilotos que mereciam tratamento melhor, como o próprio Ocon: "Eu não sei se está ficando mais e mais difícil, mas claramente estamos vendo o problema com Esteban, que ninguém sabe o que fará ano que vem. Corri também com Antonio Giovinazzi na F2, um cara muito talentoso, trabalhador e que merece uma chance na F1. George Russel também."

"Até mesmo para mim (foi difícil), depois de ganhar a GP2 tive que ir para o Japão, e aconteceu o mesmo com Stoffel Vandoorne, vemos que é muito difícil", seguiu.

Gasly, porém, refutou que a ideia de um terceiro carro para cada equipe seja a solução: "Seria difícil. Se você olhar os anos em que a Red Bull dominava, ou mesmo a Mercedes nesta nova era de motores, você veria a mesma equipe nas três primeiras posições, a mesma equipe no pódio toda semana, não melhoraria a F1."

"É difícil encontrar a solução exata, mas claramente eles deveria encontrar uma maneira de dar chances a todos os jovens pilotos que merecem estar no grid", finalizou.