F1

Chefe diz que Ferrari tem “braço curto” e que precisa confiar em si: “Temos que perder o medo de vencer”

A Ferrari anda traumatizada com as derrotas para a Mercedes - ao menos é o que indica o discurso do chefe da equipe italiana, Maurizio Arrivabene, que afirmou que a escuderia precisa perder o medo de vencer para enfim bater a rival na F1
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Maurizio Arrivabene (Foto: Ferrari)
O clima não anda dos mais favoráveis dentro da Ferrari - e o incômodo com as derrotas seguidas para a Mercedes é o motivo principal. Quem indica isso é o próprio chefe da equipe, Maurizio Arrivabene.

Em entrevista nesta segunda-feira (5) na sede da escuderia italiana, o dirigente comentou sobre como todos na Ferrari são afetados pela série de reveses para os rivais alemães.

"Em algumas áreas somos superiores, em outras eles são. Mas creio que o que nos falta é o hábito de vencer", declarou Arrivabene.

"Para eles, ter uma dobradinha é quase algo ordinário. Para nós ainda é um evento excepcional. Temos que ter mais clareza em nossos objetivos, temos que perder o medo de vencer", seguiu o chefe.
Maurizio Arrivabene (Foto: Ferrari)
Ele ainda usou a expressão "il braccino" para se referir à equipe, expressão que, em português, equivale à "braço curto", ou a incapacidade de concluir o triunfo na hora decisiva.

"É o medo de vencer que aparece na hora em que estamos próximos ao objetivo. Temos que acreditar em nós mesmos e tornar a vitória um bom hábito", completou.

A Ferrari, se já perdeu o título do Mundial de Pilotos para Lewis Hamilton e sua Mercedes, ainda pode ao menos virar para cima da rival no Mundial de Construtores nas duas etapas finais, em Interlagos e em Abu Dhabi.

No momento, a escuderia italiana tem 530 pontos, contra 585 da Mercedes, líder.

O Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece este ano nos dias 9, 10 e 11 de novembro, no autódromo de Interlagos. Os ingressos para a corrida estão disponíveis no único site oficial do evento: www.gpbrasil.com.br