F1

Brawn valoriza ponto extra por volta mais rápida e diz que nova regra “deu vida” ao final do GP da Austrália

Valtteri Bottas conquistou no final do GP da Austrália o ponto extra pela volta mais rápida da prova - e Ross Brawn, diretor esportivo da F1, usou a briga do finlandês com Max Verstappen como argumento para mostrar que a nova regra deu emoção à parte decisiva da etapa

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
O ponto extra dado para o piloto dono da volta mais rápida começou a ser distribuído no GP da Austrália, abertura da temporada 2019 da F1. Valtteri Bottas venceu batalha contra Max Verstappen para garantir algo além dos 25 pontos da vitória - e conseguiu no final da prova, na penúltima volta.

Com isso em mente, Ross Brawn - diretor esportivo da categoria - não tardou a elogiar a escolha da F1 em dar esta bonificação. Para ele, foi o que "deu vida" à parte decisiva da etapa em Melbourne.
Valtteri Bottas (Foto: Mercedes)
"Verstappen tentou bater Bottas, que tinha as mãos neste prêmio em particular. Em uma corrida na qual as vagas no pódio pareceram decididas desde cedo, a briga por este ponto extra, com os pilotos sabendo que ele pode ser decisivo na parte decisiva da luta pelo título, deu vida ao final da corrida."

"Era exatamente isso que eu e a FIA tínhamos em mente quando criamos esta ideia", completou Brawn.

Foi a primeira vez em 60 anos que tal ponto foi dado na F1: a última temporada com tal regra havia sido a de 1959. Bottas faturou o ponto com a marca de 1min25s580, no giro 57.