Endurance

VÍDEO: com ‘super carro’, Porsche voa em Nürburgring e quebra recorde histórico de 35 anos do 'inferno verde' de Nordschleife

O mais desafiador dos traçados do esporte a motor mundial tem um novo recorde. A bordo do Porsche 919 Hybrid Evo, modificado para torná-lo ainda mais rápido e sem as restrições rígidas do regulamento do Mundial de Endurance, Timo Bernhard quebrou a histórica marca que pertencia a Stefan Bellof e que já durava desde 1983 para marcar 5min19s546, 51s584 mais rápido
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 A Porsche quebrou o recorde histórico de Nordschleife nesta manhã de sexta-feira (Foto: Porsche)


Sexta-feira, 29 de junho de 2018. Um dia histórico para a Porsche e o automobilismo mundial. Nesta manhã, Timo Bernhard quebrou o recorde do mais desafiador dos traçados do esporte a motor mundial e que durava mais de 35 anos. A bordo do Porsche 919 Hybrid Evo, versão do consagrado LMP1 modificada e sem as restrições impostas pelo regulamento do Mundial de Endurance, o piloto completou os mais de 20,8 km do traçado de Nordschleife, o ‘inferno verde’, em Nürburgring, em 5min19s546. 
 
O tempo foi 51s584 mais rápido que o recorde estabelecido por Stefan Bellof nos 1000 km de Nürburgring em 1983 a bordo de um Porsche 956 do antigo Grupo C. Antes, Bernhard chegou a cravar 5min31s899 e, na sequência, 5min24s375, registrando duas vezes o recorde antes daquela que tornou-se a volta mais rápida da história lendária de Nordschleife.
A Porsche quebrou o recorde histórico de Nordschleife nesta manhã de sexta-feira (Foto: Porsche)
A quebra do recorde já era planejada pela Porsche desde o fim de maio. A lendária fábrica alemã, que completa 70 anos em 2018, escolheu Bernhard, duas vezes vencedor das 24 Horas de Le Mans, para alcançar a façanha no ‘inferno verde’. Antes, em abril, a Porsche alcançou outra marca histórica ao quebrar o recorde absoluto de Spa-Francorchamps com o 919 Hybrid Evo pilotado pelo suíço Neel Jani.
 
O modelo recebeu as modificações aerodinâmicas e também de motorização justamente para poder quebrar recordes históricos. A versão radical do LMP1 campeão de Le Mans em 2015, 2016 e 2017 explora o máximo da performance e sem nenhuma restrição de regulamento.
 
O protótipo compreende nada menos que 1.200 cv de potência, resultado da união de um motor V4 turbo de 2 L e outro motor elétrico, este responsável por entregar potência ao eixo dianteiro. O propulsor não tem nenhuma restrição quanto a combustível e tampouco limitação em quantidade de energia híbrida disponível por volta, bem diferente do que é permitido pelo regulamento do WEC na atualidade.
Timo Bernhard ao lado da nova marca histórica do 'inferno verde' (Foto: Porsche)
Assim, com todas as mudanças aerodinâmicas, o 919 Hybrid Evo entrega 53% mais downforce que o carro original e tem um índice de eficiência aumentado em 66%. Marcas que são alcançadas graças à ampliação do difusor dianteiro e da asa traseira, a adição da asa móvel na parte da frente e também na traseira do carro. Assim, o protótipo compreende maior aderência, mas não tem a velocidade comprometida nas retas. Muito pelo contrário.
LISTRAS LISÉRGICAS

COM CHICANE E CORES POLÊMICAS, PAUL RICARD DIVIDE OPINIÕES